• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Para fortalecer a organização da juventude trabalhadora, CUT faz vídeos formativos

Com cooperação internacional, os roteiros dos materiais audiovisuais foram elaborados a partir de diálogo com os educadores e educadoras da Rede Nacional de Formação e com jovens trabalhadores de todo país

Publicado: 01 Março, 2021 - 12h07 | Última modificação: 01 Março, 2021 - 12h18

Escrito por: Érica Aragão

Agência Brasil
notice

Mesclando linguagem clássica de documentário com animação e recursos gráficos que dialogam com as trabalhadoras e trabalhadores jovens, sete novos vídeos de formação vão compor o acervo didático da CUT. Esse projeto tem como objetivo principal fortalecer a organização da juventude trabalhadora brasileira através da articulação de diversas frentes no campo da formação, pesquisa, sindicalização e organização na base.

A produção dos materiais audiovisuais foi articulada e desenvolvida pelas Secretarias de Juventude, Formação e Relações Internacionais da Central e só foi possível em razão da implementação de uma das linhas do Projeto Juventude CUT- Confederação dos Sindicatos Alemães (DGB), executadas no ano de 2020.

“Estes novos materiais de formação são uma divisão de água pra esse momento de crise e nenhuma palavra conseguirá traduzir a importância desse projeto para classe trabalhadora, que muitas vezes não tem possibilidade de fazer um processo de formação com tanta qualidade e apoio internacional”, disse a secretária Nacional da Juventude da CUT, Cristiana Paiva.

“São vários vídeos com várias questões atuais e só foram possíveis com ajuda desse projeto muito importante e muito enriquecedor para a juventude trabalhadora”, complementou.

Os roteiros dos vídeos História do Capitalismo, História do Sindicalismo, História e Princípios da CUT, Juventude e Mundo do Trabalho, História da Secretaria Nacional de Juventude, Juventude Transição Justa e Juventude e a diversidade foram elaborados a partir de diálogos feitos com os educadores e educadoras da Rede Nacional de Formação que trabalham nas Escolas Sindicais, além de parte da assessoria da CUT e também da realização de uma ‘roda de conversa’ com jovens trabalhadores e trabalhadoras que atuam nas ações do projeto Juventude CUT-DGB.

O tom acadêmico e as entrevistas de “gabinete” com estudiosos, que poderiam dar um ar muito formal ao material foi evitado. Ao mesmo tempo, a CUT buscou dar densidade aos vídeos, com explicações que ajudem os jovens a compreender a complexidade da temática organização sindical da juventude.

O trabalho prévio de pesquisa junto ao Centro de Documentação da CUT (CEDOC-CUT) levantou informações históricas e indicou a base política para a elaboração do material visualmente interessante e politicamente relevante na formação de novas lideranças sindicais.

Para a secretária de Formação da CUT, Rosane Bertotti, esse projeto em parceria com a DGB com foco nos jovens é uma demonstração da importância da Juventude na CUT, no mercado de trabalho, suas relações e sua formação para este processo organizativo de trazer mais jovens para o movimento sindical como sujeito de transformação.

“A formação sempre foi e sempre será um dos pilares da construção da luta e da organização da classe trabalhadora. E é dessa forma que iremos fazer os debates com a juventude e organizar um movimento para que os jovens possam se sentir parte dessa construção da Central Única dos Trabalhadores e também fazer um elo com os jovens de outros países”, afirmou.

Conheça um pouco sobre cada vídeo/tema:

História do Capitalismo (2 blocos): Apresentação do funcionamento da sociedade capitalista em que o centro de funcionamento é a exploração do trabalho humano. Permite conhecer como e porque se estruturam as sociedades baseadas na desigualdade e disputas, assim como identificar os sindicatos como os representantes dos trabalhadores e trabalhadoras nesse contexto. Duração: 12’08’’

História do Sindicalismo no Brasil (2 blocos): O vídeo mostra como nasceu o sindicalismo no Brasil, quais as heranças organizativas dos trabalhadores (desde a escravidão), linhas ideológicas e correntes sindicais no período pré-30. Também mostra como o governo de Getúlio Vargas cooptou o sindicalismo livre para o sindicalismo atrelado através da estrutura sindical oficial. Por fim, aborda as alterações feitas com as mudanças na legislação (reconhecimento das centrais e reformas pós- 2016). Duração: 17’48’’

História e Princípios da CUT: Resgata a história da CUT, abordando sua fundação, momentos de definição, conquistas e representatividade. Duração: ‘18’42’’

Juventude e Mundo do Trabalho: Aborda como a juventude trabalhadora está enfrentando as alterações no mercado de trabalho e a retirada de direitos trabalhistas e previdenciários. Também mostra como o afastamento dos sindicatos deixa a juventude trabalhadora ainda mais vulnerável à precarização das relações de trabalho. Duração: 5’13’’

História da Secretaria Nacional de Juventude: Mostra o histórico do tema juventude na CUT, desde a fundação, feita por jovens sindicalistas até a criação da Secretaria Nacional de Juventude e a definição de políticas para organização dos jovens trabalhadores e trabalhadoras. Duração: 4’42’’

Juventude Transição Justa: Mostra como o avanço da crise climática (em função da produção baseada em energias poluentes) gerou impactos para a classe trabalhadora urbana e rural, especialmente para os jovens. Além disso, aborda a perspectiva de criação de novas profissões a partir de uso de energias renováveis e o papel do movimento sindical e dos/das jovens para garantir que as demandas por justiça climática, ambiental, sindical e social sejam atendidas. Duração: 5’23’’

Juventude e a diversidade: Aborda sobre diversidade na composição da juventude trabalhadora a partir dos temas:  étnico-raciais, fé/religião, classes sociais, orientação sexual, identidade de gênero, escolaridade, cultura ou tantas outras marcas que atravessam “as juventudes”, no plural. O vídeo problematiza como estas juventudes, ricas em diversidades, são marginalizadas e invisibilizadas quando não atende a padrões sociais dominantes. Duração: 5’52’’

Todos os vídeos também estão disponíveis numa playlist