• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Redes e ruas são tomadas pelo #ForaBolsonaro no Brasil e no mundo neste sábado (3)

#3JforaBolsonaro, nacional e internacional, além de ocupar os trends topics do Twitter, ocupa as ruas de mais de 14 estados. À tarde, tem mais atos em todo o Brasil

Publicado: 03 Julho, 2021 - 12h52 | Última modificação: 03 Julho, 2021 - 14h37

Escrito por: Érica Aragão

Clara Farias
notice
A pergunta que dói e que não quer calar nas ruas de Campo Grande (MS) nesse #3JForaBolsonaro

Menos de 24 horas depois que a ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Rosa Weber, determinou que Jair Bolsonaro (ex-PSL) seja investigado pelas irregularidades no contrato de compra da vacina indiana contra a covid-19 Covaxin, irmãos Miranda denunciaram superfaturamento de 1000%e por um vendedor da vacinas AstraZeneca manifestações pedindo Fora Bolsonaro voltaram a acontecer em todo país e em todo mundo na manhã deste sábado (3), nas redes e nas ruas.

As mobilizações reivindicam comida no  prato e vacina no braço, auxílio emergencial de R$ 600, são contra as privatizações, denunciam a miséria, fome, desemprego,  retirada de direitos e vários ataques do governo, além do genocídio contra o povo brasileiro. Você pode ver como foram as mobilizações no minuto a minuto da CUT.

Em Viena, na Áustria, Hamburgo, na Alemanha, e Dublin, na Irlanda, os atos #3JForaBolsonaro aconteceram nas primeiras horas do dia.

Frente Fora BolsonaroFrente Fora Bolsonaro
Na Catedral  de Viena (Áustria)

 

No Brasil

Atos Simbólicos, faixaços, passeatas e carreatas também aconteceram em diversas cidades brasileiras em mais de 14 estados, como Alagoas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Pernambuco, Paraná, Santa Catarina, interior de São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. 

É o terceiro ato nacional pedindo ‘Fora, Bolsonaro’ e a quarta mobilização para pedir o fim do governo Bolsonaro já está agendada para o dia 24 de julho. E, como sempre, os organizadores reforçam os cuidados contra a disseminação do novo coronavírus, como uso do álcool e gel, máscaras e, sempre que possível, distanciamento social.

As hashtags #3JForaBolsonaro e #1Bolsonaro ficaram competindo entre os principais assuntos mais comentados no Twitter por toda manhã desta sábado, 3 de julho. A tarde terão mais mobilizações pelo país.

Nas redes

 A deputada Érika Kokay (PT-DF) convocou a sociedade para ir às ruas neste sábado para pedir o fim deste governo corrupto, genocida e incompetente. 

reproduçãoreprodução

 

 

 

 

 



Saiba como foram os atos pelo país:

Na manhã chuvosa deste #3J, Maceió, capital de Alagoas, mobilizou cerca de 5000 pessoas. Enquanto umas pessoas distribuíram álcool em gel pela manifestação outras protestaram contra o governo genocida.

Ascom/ CUT AlagoasAscom/ CUT Alagoas

 

Ascom/ CUT AlagoasAscom/ CUT Alagoas
Mulheres cutistas fizeram o enterro da política genocida de Jair Bolsonaro (ex-PSL)

 

Na Bahia, o protesto bloqueou a BR 407.

Comunicação MABComunicação MAB

 

As mobilizações do #3JForaBolsonaro também aconteceram em Sobral e Canindé, no Ceará.

Em Sobral, o ato foi na praça de Cuba, no centro da cidade, e a população colocou cruzes pelo espaço para denunciar as mais de 520 mil mortes pela Covid-19, uma doença que já tem vacina e foi negada pelo governo Bolsonaro.

 

Nacélio Santos, Comunicação MST- CENacélio Santos, Comunicação MST- CE

Praça de Cuba

 

Sindicalistas em Canindé se somaram a diversos movimentos sociais,  populares e de trabalhadores rurais para denunciar a corrupção do governo Bolsonaro.

 

Renato Araújo, Setor de Comunicação MSTRenato Araújo, Setor de Comunicação MST

 

No Espírito Santo uma faixa Fora Bolsonaro foi colocada bem no meio do rio do centro da cidade de Colatina.

Giliarde/SINTVESTGiliarde/SINTVEST

 

Em Goiás teve mobilizações também.

Além da Praça Covida, no centro de Goiás, o ato #3JForaBolsonaro também aconteceu em Anápolis, na Praça do Ancião. A população protestou contra o governo e disse não à reforma Administrativa (PEC 32) e pediu o fim do feminicídio.

 

Leda VelosoLeda Veloso

 

Na Praça Getúlio Vargas, em Catalão, os manifestantes colocaram faixas para dizer que escola sem vacina é chacina para protestar contra a reabertura das escolas em meio a pandemia.

 

Jainer Diogo Vieira MatosJainer Diogo Vieira Matos

 

Na Cidade de Goiás teve carreta pelo Fora Bolsonaro.

 

Mariana de LimaMariana de Lima

 

Nas ruas de São Luís, no Maranhão, teve protesto LGBTQI+ no Fora Bolsonaro.

Adriano Versiani | Cobertura EOLAdriano Versiani | Cobertura EOL

 

Em Minas Gerais teve #3JForaBolsonaro em Ipatinga, Congonhas, Governador Valadares e Belo Horizonte, que o movimento antifascista também esteve presente.

Mídia NinjaMídia Ninja 

 

Além de outdoors denunciando o governo Bolsonaro, teve mobilização no Mato Grosso do Sul. As ruas de Campo Grande foram tomadas pelo Fora Bolsonaro.

Sergio Souza JúniorSergio Souza Júnior

 

Em Belém, no Pará, manifestantes protestaram na Praça da República, centro da capital.

 

Brenda Balieiro/ Setor Comunicação MSTBrenda Balieiro/ Setor Comunicação MST

 

Além de dizer não à reforma Administrativa, o protesto em Recife, capital de Pernambuco, gritou o Fora Bolsonaro e Não aos cortes nas Universidades Públicas. Também teve ato em Petrolândia.

CUT PECUT PE

 

No Paraná, o protesto foi em Cornélio Procópio.

Pé Vermelho CPPé Vermelho CP

 

O #3JForaBolsonaro ocupou as ruas do interior do Rio Grande do Sul. Abaixo veja a foto do ato em Cruz Alta. A CUT-RS  transmitiu o ato pelas redes sociais. Cruz Alta. O ato de Porto Alegre começará às 15h. 

 

CUT RSCUT RS

 

Em Santa Catarina tiveram atos em diversas cidades: Criciuma, Chapecó e Florianópolis.

Adriane CananAdriane Canan
Florianópolis

 

A população de diversas cidades do interior e da grande São Paulo também foi às ruas para pedir Fora Bolsonaro. Além de bonecos da família Bolsonaro de ladrões em São Bernardo do Campo, teve diversos tipos de reivindicações e bandeiras. Veja no minuto a minuto da CUT São Paulo.

Eder França/ SBCEder França/ SBC

 

Edição: Marize Muniz