• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Mobilização contra a reforma Administrativa ocupa as ruas de várias cidades

Entidades que defendem servidores e o serviço público realizam atos para denunciar os prejuízos que a PEC 32 trará ao Brasil e aos brasileiros, se for aprovada

Publicado: 14 Setembro, 2021 - 14h01 | Última modificação: 14 Setembro, 2021 - 15h19

Escrito por: Redação CUT

Mateus Dantas/ Sindiute
notice

O movimento ‘Cancela a Reforma’, como é chamada a mobilização contra a reforma Administrativa do governo de Jair Bolsonaro (ex-PSL), que começou nesta terça-feira (14) e segue até a quinta-feira (16), está sendo realizado em várias cidades do Brasil, com reforço nos atos em Brasília.

Leia mais: Nesta terça, “Cancela a Reforma já!” é uma das frases mais lidas nas ruas do DF

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 32 está em análise na Comissão Especial da Câmara e por isso, este período é decisivo na luta para barrar a reforma e defender os servidores e o serviço público do Brasil

Lei mais: Começa a jornada de luta contra a reforma Administrativa, em Brasília

Diversas entidades de várias categorias dos servidores das três esferas – municipal, estadual e federal – participam dos protestos que visam denunciar à população as consequências dessa reforma na vida de todos que precisam de serviços públicos. Além de acabar com a carreira dos servidores, a reforma também abrirá caminho para a privatização de serviços essenciais em áreas como saúde e educação.

Para a carreira dos servidores, a PEC 32 representa um retrocesso sem precedentes. Ela permite a contratação de trabalhadores sem concurso, autoriza a redução de jornada e de remuneração para futuros servidores e possibilita a extinção de cargos com demissão  do servidor.

Confira como foram os atos realizados no  país

Brasília

Logo no começo da tarde, servidores de todo o país que foram à capital federal, começaram a se concentrar na Espalanda dos Minsitérios. O ato foi programa para às 16h 

 

 

 

 

Mais cedo, no aeroporto de Brasília, a CUT e diversos sindicatos protestaran contra a PEC 32. A manifestação também contou com apoio de diversas entidades e categorias de servidores públicos.

 

Ceará

Em Fortaleza, a atividade teve concentração na Praça da Imprensa. De lá os servidores das três esferas caminharam até o prédio da Assembleia Legislativa do Ceará e foram recebidos por deputados e vereadores. Professores e profissionais da educação também fizeram caminhada.

MATEUS DANTAS/ SINDIUTE MATEUS DANTAS/ SINDIUTE

MATEUS DANTAS/ SINDIUTE MATEUS DANTAS/ SINDIUTE

 

Pernambuco

Em Recife, a CUT e centrais sindicais, além de parlamentares e sindicatos organizaram ato contra a Reforma Administrativa em frente à Assembleia Legislativa de Pernambuco, além de mobilização nas redes sociais. O ato também foi por mais vacinas, empregos para a população e pelo impeachment de Bolsonaro.

JC MazellaJC Mazella

JC MazellaJC Mazella

 

Rio Grande do Sul

O ato dos servidores contra a reforma administrativa (PEC 32), na manhã desta terça (14), foi realizado em frente ao Hospital de Pronto Socorro (HPS), em Porto Alegre. O protesto também teve o "Fora Bolsonaro". 

 

 

São Paulo 

Manifestantes começaram a se concetnrar em frente à Prefeitura Municipal< ás 14h, para o ato programado para a tarede desta terça-feira.

Alexandre Linares / SindsepAlexandre Linares / Sindsep

Alexandre Linares / SindsepAlexandre Linares / Sindsep

Alexandre Linares / SindsepAlexandre Linares / Sindsep

 

 

Santa Catarina

Em Joinville dirigentes sindicais, juventude e lideranças populares estão marcando o dia 14 com um verdadeiro arrastão para panfletagem e diálogo com a população sobre os efeitos da PEC 32.

Leonardo Nürnberg/SinsejLeonardo Nürnberg/Sinsej

Leonardo Nürnberg/SinsejLeonardo Nürnberg/Sinsej

 

Sergipe

Em Aracaju, uma tenda foi armada na Praça para dialogar com a população e denunciar os retrocessos da reforma Administrativa de Bolsonaro

Itanamara Guedes Itanamara Guedes

Itanamara Guedes Itanamara Guedes