• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

De lockdown a toque de recolher, cidades adotam medidas severas contra a Covid-19

Explosões de casos já podem ser efeitos das aglomerações e festas clandestinas no feriado de Carnaval. Em doze cidades brasileiras a taxa de internações está acima de 80%

Publicado: 23 Fevereiro, 2021 - 14h44 | Última modificação: 23 Fevereiro, 2021 - 15h01

Escrito por: Walber Pinto

TETÊ VIVIANI/PREFEITURA DE ARARAQUARA
notice

O aumento da taxa de internações por Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus, colocou várias cidades brasileiras em alerta para um possível colapso no sistema de saúde. Diante do aumento no número de mortes e superlotação nos leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), em cidades como Salvador, Porto Alegre, João Pessoa, Fortaleza, e em grandes cidades de São Paulo como Campinas, Ribeirão Preto e São Bernardo do Campo, prefeitos adotaram medidas mais rigorosas para conter o avanço do novo coronavírus.

A medida mais dura contra a expansão da pandemia veio de Araraquara, município de São Paulo com mais de 230 mil habitantes, onde o prefeito Edinho Silva (PT) decretou lockdown total por 60 horas, após o aumento de casos e mortes e a descoberta de casos com a nova cepa do vírus descoberta no Amazonas. O exemplo da cidade se espalhou por várias regiões do país, onde já que circula também a nova cepa do vírus mais transmissível e letal.

Leia mais: Para salvar vidas, prefeito de Araraquara adota lockdowd mais rídigo do país

Em doze cidades brasileiras a taxa de internações está acima de 80%. Estão nesta situação Acre, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia e Santa Catarina e DF.

Confira as cidades que adotaram medidas mais duras para conter a pandemia

São Paulo

São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, anunciou nesta segunda-feira (22) que haverá toque de recolher a partir deste sábado (27) entre 22 horas e 5 horas da manhã. Além disso, foi decretada a suspensão de aulas presenciais na rede pública e na rede privada, já que retorno deveria acontecer no próximo dia 1º de março, mas ficou para dia 15.

Campinas vai adotar medidas mais duras para tentar reduzir os casos da doença na cidade. A prefeitura vai decretar das 21h às 5h, a fase vermelha no plano de combate à Covid-19, a mais restritiva. A medida será válida a partir desta terça-feira (23) até 1º de março.

Até esta segunda (22), a cidade registrava 89,53% de ocupação em leitos de UTI exclusivos para pacientes com o novo coronavírus. Em Campinas, dos 258 existentes, 231 estão em uso. A situação também é grave nos hospitais públicos municipais, onde 107 leitos, 105 estão ocupados (98,13%).

Ribeirão Preto não descarta adotar medidas mais severas para evitar a regressão de fase ou até mesmo seguir o caminho de Araraquara.

Para entender a gravidade que vive o estado de São Paulo, só nesta semana, a região atingiu um dos piores picos de internações pela Covid-19.  O governo de João Doria (PSDB) planeja anunciar endurecimento de restrições nesta quarta-feira (25), e não descarta nem mesmo um toque de recolher.

Paraíba

Na Paraíba, o prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena (PP), e o governador do estado, João Azevêdo (Cidadania), anunciaram nesta segunda-feira (22) que o estado terá toque de recolher, no horário das 22h às 5h manhã. Na capital Joao Pessoa, será fechado o acesso as praias, suspenção das aulas presenciais, fechamento de bares, restaurantes e outros estabelecimentos comerciais.  As medidas entram em vigor nesta terça (23) e duram 15 dias.

Segundo o prefeito e o governador, o objetivo é tentar barrar o aumento dos casos da Covid-19 na Paraíba, que conta com ocupação de 63% dos leitos nos hospitais.

Leia mais: Pelo 33º dia seguido com mais de mil vítimas fatais por dia, Brasil se aproxima de 250 mil mortes

Santa Catarina

Em Santa Catarina, novas regras mais duras foram implantadas nesta terça-feira (23), para responder ao avanço da pandemia em todas as regiões do estado. As medidas deverão incluir restrições de horário e ações para reduzir a circulação de pessoas. O estado atingiu o mais alto número de pacientes internados em UTI nos hospitais públicos e privados desde o começo da pandemia.

Chapecó e Xanxerê, no Oeste catarinense, publicaram decretos para tentar conter o contágio da Covid-19. Está restrita a circulação de pessoas durante a noite e também no horário de funcionamento de serviços.

Em Chapecó, serviços não essenciais foram fechados pelo menos até a noite do próximo domingo (28).

Já em Xanxerê, o Hospital Regional São Paulo está lotado. Nesta segunda (22), não havia mais vagas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e enfermaria Covid.

No decreto de Xanxerê, que entrou em vigor nesta segunda-feira (22) e vale até 1º de março, está proibida a circulação de pessoas entre 23h e 6h, a não ser que os moradores estejam em busca de atendimento médico, serviços essenciais ou para deslocar-se ao trabalho. Nove pacientes aguardam um leito de UTI. Outros 17, um leito de enfermaria.

Bahia

A cidade de Salvador vai ter novas ações de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus. As medidas incluem o fechamento de praias, clubes, campos e quadras, além da abertura de mais leitos para o tratamento de pacientes com a doença.

Todos os campos e quadras públicos de Salvador serão fechados para a prática de atividades esportivas a partir desta terça. Na quarta-feira (24), todas as praias e clubes sociais da cidade também voltarão a ser fechados. As determinações valerão por sete dias.

As medidas se somam ao toque de recolher das 20h às 5h decretado pelo governador da Bahia, Rui Costa (PT). A taxa de ocupação de leitos de UTI em Salvador chegou a 80%, índice que tem subido consideravelmente nas últimas semanas.

Rio Grande do Sul

Porto Alegre registra aumento dos casos de Covid-19, o que impactou a demanda por postos de saúde (UBS) e unidades de pronto atendimento (UPA). Com a capacidade dos hospitais próxima ao esgotamento, a situação causa preocupação.

Nesta segunda-feira, Porto Alegre atingiu o número mais alto de pessoas com covid-19 em UTI desde o início da pandemia. O painel de monitoramento da Secretaria Municipal de Saúde indicava 357 pacientes com coronavírus internados em estado grave até esta segunda-feira (22). O recorde anterior havia sido atingido nos dias 2 e 4 de setembro do ano passado, quando foram contabilizados 347 doentes em estado crítico.

A lotação de UTIs em sete hospitais da Capital chegou a 97%. Dos 823 leitos disponíveis, 766 estavam com pacientes.

O governo do Rio Grande do Sul colocou 11 regiões em bandeira preta, a fase mais restrita, desta terça-feira (23) até a próxima segunda (1º).

Fortaleza

Fortaleza está sob toque de recolher desde o dia 17 de fevereiro, das 22h às 5 horas até o dia 28 de fevereiro. A medida, anunciada pelo governador Camilo Santana (PT), vale em todo o estado.

Foi decretada também a suspensão das aulas presenciais em escolas e universidades públicas e privadas. E todos os espaços públicos fecharão às 17h.

Nesta segunda-feira (22), 83 municípios cearenses registraram a maior taxa de incidência de casos de Covid-19. Cerca de 3 a cada 4 casos confirmados da doença são registrados no interior.

Em todo o estado, 91% dos leitos de UTI exclusivos para Covid-19 estão ocupados.

Com informações de Agências.

Edição: Marize Muniz