• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Brasil tem novo recorde e registra pela primeira vez mais de 3 mil mortes por Covid

Foram 3.149 óbitos e 99.634 casos registrados, elevando os números totais de vítimas e infectados para 284.775 e 11.693.838, respectivamente. Uma tragédia

Publicado: 18 Março, 2021 - 10h01 | Última modificação: 18 Março, 2021 - 10h14

Escrito por: Redação RBA

Reprodução
notice

Em todas as regiões do Brasil, a explosão do número de mortos e  pessoas contaminações pela pandemia do novo coronavírus é dramática. O país ultrapassou a marca de três mil mortes por Covid-19 em 24 horas, entre a terça e a quarta-feira (17), mais um triste recorde. Nos últimos três dias morreram mais brasileiros que contraíram o vírus do que em toda a pandemia na China, que registra 4.636 óbitos no total.

De acordo com os dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) nesta quarta-feira (17), foram 3.149 óbitos e 99.634 novos casos registrados, elevando os números totais de vítimas e infectados para 284.775 e 11.693.838, respectivamente.

E o presidente Jair Bolsonaro (ex-PSL), o grande responsável pela pior essa crise sanitária da história, continua indiferente. Desde o começo da pandemia ele defende políticas negacionaistas, já trocou três ministros da saúde, atrapalhou todos os processos de compra de vacinas e espalhou fake news sobre o uso de máscaras e medicamentos sem eficácia.

Pandemia descontrolada

Os números diários da pandemia no Brasil assustam especialistas, cientistas, autoridades e jornalistas do mundo inteiro. São os piores números já registrados desde março de 2020, quando teve início a crise sanitária no país. Pela primeira vez, a média móvel de mortes diárias por Covid-19 passou de 2 mil, o que indica que a pandemia está descontrolada.

São Paulo registra mais um recorde de mortes

Nesta quarta-feira (17), o estado de São Paulo voltou a registrar recorde de mortes. Foram 617 vítimas da Covid-19. O estado enfrenta filas por internações e a ocupação em leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) destinados à Covid-19 chegou a 90,3% besta quarta (17), próximo ao colapso. Pelo menos 90 pessoas morreram na fila à espera de um leito.

Segundo a secretaria estadual de saúde do estado, pelo menos 67 dos 105 municípios com vagas para tratamento intensivo já atingiram sua capacidade total. São Paulo tem até o momento 10.756 pacientes em leitos de UTI.

Minas Gerais também bate recordes negativos

Minas Gerais também registrou recorde de mortes, foram 314 óbitos em 24 horas nesta quarta-feira (17). Anteriormente, o maior número tinha sido registrado em 11 de março (263).

Na capital, Belo Horizonte, o colapso no sistema de saúde preocupa as autoridades, que orientam a população a seguir as regras de distanciamento social para frear o contágio. Segundo o secretário de Saúde de BH, Jackson Machado, faltam até respiradores.

Estados do Sul em situação crítica

Os três estados da Região Sul do Brasil bateram recordes de mortes por Covid-19 em março mesmo antes do mês acabar, segundo dados das secretarias estaduais de Saúde

O estado do Paraná já soma 14.087 mortes e 769.996 contaminações, só ontem morreram 261 pessoas.

O Rio Grande do Sul registrou ontem 213 mortes, totalizando 15.819 óbitos desde o inicio da pandemia. No total o RS tem 763.794 casos.

 O estado de Santa Catarina registrou até agora 9.121 mortes e 746.620 pessoas contaminadas.

De acordo com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), as 27 unidades federativas, 26 estados e o Distrito Federal, estão com taxas de ocupação de leitos de UTI-Covid-19 para adultos no Sistema Único de Saúde (SUS) iguais ou superiores a 80%, sendo 15 com taxas iguais ou superiores a 90%. Em relação às capitais, 25 das 27 estão com essas taxas iguais ou superiores a 80%, sendo 19 delas superiores a 90%.

A fundação alerta para o risco de colapso das redes pública e privada de saúde da região Sudeste nas próximas semanas “se as medidas restritivas não forem revistas”.