• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Brasil se aproxima de 5 milhões de casos de Covid-19. Vítimas fatais somam 146.675

Pelo 13º dia seguido a média de mortes no Brasil ficou abaixo de 700, de acordo com os dados sobre a Covid 19 atualizados pelo consórcio de imprensa

Publicado: 06 Outubro, 2020 - 11h25 | Última modificação: 06 Outubro, 2020 - 12h25

Escrito por: Redação CUT

Rovena Rosa/Agência Brasil
notice

O Brasil registrou 11.946 novos casos do novo coronavírus e 323 óbitos no período de 24 horas. Com isso, o número total de casos confirmados se aproxima de 5 milhões desde o início da pandemia. De acordo com o Ministério da Saúde, 4.927.235 de brasileiros se infectaram com a Covid-19, desses, 146.675 perderam a vida em decorrência da doença.

Pelo 13º dia seguido, a média de mortes no Brasil ficou abaixo de 700, de acordo com os dados atualizados pelo consórcio de imprensa. Já a média de novos casos por dia nos últimos sete dias foi de 27.453. Uma redução de 9% em relação à média de 14 dias atrás, o que significa estabilidade.

No mundo, apenas Estados Unidos e Índia têm mais infectados que o Brasil. Sendo 7,4 milhões e 6,6 milhões, respectivamente -, de acordo com balanço da Universidade Johns Hopkins, dos EUA. Quanto ao número de óbitos, o país só perde para os norte-americanos, que já somam 210.079 vidas perdidas.

Ao todo, mais de 35 milhões de pessoas contraíram o coronavírus no mundo, enquanto outros 1,3 milhão morreram em decorrência da doença, segundo a universidade.

Já o índice de mortalidade da doença no Brasil subiu para 69,8 pessoas a cada 100 mil habitantes. A taxa de incidência aumentou para 2.344,7  indivíduos por cada 100 mil cidadãos e a taxa de letalidade se mantém em 3%.

Entretanto, as autoridades e instituições de saúde alertam que os números reais de casos e mortes devem ser ainda maiores, em razão da falta de testagem em larga escala e da subnotificação.

RS se aproxima das 5 mil vítimas fatais em decorrência da covid-19

Nas últimas 24 horas foram registrados 44 óbitos por covid-19 no Rio Grande do Sul, conforme boletim da Secretaria Estadual da Saúde (SES) divulgado nesta segunda-feira (05), elevando para 4.952 o número de vítimas fatais. O estado também já registra 203.497 infectados pela doença, com a confirmação de 837 novos casos pela SES.

Dos casos confirmados desde o início da pandemia, 189.615 (93%) são tidos como recuperados. O novo coronavírus já infectou moradores de 495 dos 497 municípios gaúchos. 

As vítimas fatais registradas hoje foram em Porto Alegre (9), Alvorada (3), Sapucaia do Sul (2), Caxias do Sul, Passo Fundo, Canoas, Gravataí, Santa Maria, Bento Gonçalves, Cachoeirinha, Viamão, Parobé, Santa Rosa, Charqueadas, São Borja, Carazinho, Canela, Igrejinha, Encantado, São Marcos, Soledade, Feliz, Balneário Pinhal, Porto Xavier, Cidreira, Encruzilhada do Sul, Fortaleza dos Valos, Tupandi, Santo Cristo, Itaara, Capela de Santana, Santo Antônio do Planalto e Porto Mauá. 

A taxa de ocupação de leitos de UTI no estado estava em 72,5%, às 18h de hoje, sendo 1.849 pacientes em 2.551 leitos de UTI. Já na Capital a ocupação é de 86,22%.

Situação nos demais estados

São Paulo é o estado brasileiro mais atingido pela epidemia com 1.004.579 casos e 36.220 mortes. O total de infectados no território paulista supera o dos registrados em praticamente todos os países do mundo, exceto Estados Unidos, Índia e Rússia (1,2 milhão). A tendência de queda, no entanto, tem se mantido desde o dia 28 de setembro, quando o estado saiu de um período de estabilidade na média móvel.

No ranking de estados com mais casos aparecem Rio de Janeiro (273.338), Ceará (243.106), Pernambuco (149.454), Minas Gerais (308.466) e Bahia (316.005). O Rio de Janeiro está em segundo lugar em relação aos números de óbitos, com 18.780 vítimas, seguido de Ceará (9.056), Pernambuco (8.340), Minas Gerais (7.656), e Bahia (6.953).

Roraima vem registrando há dez dias aumentos na média acima de 100%. O estado teve o maior aumento na média móvel de mortes. Outros três estados também estão com aumento na média: Amazonas, Ceará, que estava em estabilidade, e Sergipe.

O Amazonas foi o segundo estado com maior aumento na média, mas o governo local diz que registrou nesta terça-feira (6) nove mortes -, quatro delas ocorridas nas últimas 24 horas, e cinco em outros meses, mas que só agora foram incluídas entre os registros de Covid-19.

O Distrito Federal e 16 estados estão em estabilidade, ou seja, a variação não passou de 15% para mais ou para menos. São eles: Acre, Amapá, Tocantins, Maranhão, Piauí, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Alagoas, Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e o Rio Grande do Sul.

O Distrito Federal, o Rio Grande do Norte e o Paraná estavam em queda no domingo.

Com queda na média móvel de mortes, estão seis estados: Rondônia, Pará, Paraíba, Mato Grosso, que no domingo estava em estabilidade, Rio de Janeiro e São Paulo.

As maiores quedas foram no Pará e na Paraíba.