• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Mais de 600 mil pessoas foram às ruas no sábado (24) para exigir #ForaBolsonaro

Foram realizados mais de 500 atos em todas as capitais do Brasil e no Distrito Federal e também no exterior

Publicado: 26 Julho, 2021 - 11h41 | Última modificação: 26 Julho, 2021 - 18h26

Escrito por: Redação CUT

Stefano Figalo/Brasil de Fato
notice
Multidão ocupou a Avenida Presidente Vargas no centro da capital fluminense

Cerca de 600 mil pessoas foram às ruas nas 26 capitais, no Distrito Federal e em centenas de cidades do Brasil e do exterior no quarto dia nacional de mobilização “fora, Bolsonaro”, realizado no sábado (24).

No Minuto a Minuto da CUT é possível ver informações e imagens de centenas de atos realizados em todo o mundo e no Mapa dos Atos a lista de cidades onde o povo foi às ruas.  

O presidente Nacional da CUT, Sérgio Nobre, disse na Avenida Paulista, em São Paulo, onde milhares de pessoas foram pedir o impeachment de Jair Bolsonaro (ex-PSL) que os protestos continuarão até que Bolsonaro caia.

Além do impeachment do presidente por crimes contra a democracia e contra a vida, a pauta dos 509 atos realizados também abordou em faixas, cartazes e discursos temas como as denúncias de pedido de propina nas negociações para compra de vacinas, que atrasaram a entrada do imunizante no Brasil, contribuindo com a morte de quase 550 mil brasileiros. A pauta teve ainda pedido de pagamento do auxílio emergencial de R$ 600 até o fim da pandemia, e foi contra a reforma Administrativa e as privatizações.

Em várias capitais, os manifestantes homenagearam os mortos em decorrência da Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus, e várias pessoas levaram cartazes lamentando a morte de parentes e côngujes que não tiveram tempo de esperar a vacina ou afirmando que o tratamento precoce com remédios ineficazes, recomentado por Bolsonaro matou um parente, como no cartaz desta esposa que vive um luto doloroso, sem despedida, sem velório, como os parentes mortos em decorrência da Covid-19 no país. 

ReproduçãoReprodução

As lideranças da Campanha Nacional Fora Bolsonaro, formada pelas frentes Brasil Popular e Povo sem Medo, centrais sindicais como a CUT, movimentos sociais como o MST e partidos políticos avaliam que os atos de sábado ganharam capilaridade em relação aos atos anteriores.

Em 29 de maio, foram realizados atos em ao menos 227 cidades do Brasil e 14 do exterior, com cerca de 420 mil pessoas. No segundo protesto, em 19 de junho, foram  427 atos em 366 cidades do Brasil e em 42 cidades do exterior, em 17 países, com um público total de 750 mil pessoas.

Já no ato do 3 de julho, antecipado por causa das denúncias de corrupção feitas na CPI da Covid do Senado, 800 mil pessoas foram às ruas em 352 atos em 312 cidades do Brasil, em todos os estados e no Distrito Federal, e 35 no exterior em 16 países.