• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Vale e governo de Minas fecham acordo sem a participação dos atingidos em Brumadinho

Esta homologação do acordo descartou previamente qualquer consideração dos atingidos, além de ter sido fechado sem qualquer divulgação para a sociedade

Publicado: 04 Fevereiro, 2021 - 16h55 | Última modificação: 04 Fevereiro, 2021 - 16h57

Escrito por: Redação Assessoria Rogério Corrêa

Mídia Ninja
notice

Foi assinado nesta quinta-feira (4) o acordo entre Vale e governo de Minas sem a participação dos atingidos pelo crime de Brumadinho. Conforme foi protocolado no Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), a mineradora deverá pagar um valor indenizatório de R$ 37 bilhões, muito inferior ao que foi calculado pelo Ministério Público e Fundação João Pinheiro, de R$ 54 bilhões. 

Durante a audiência de conciliação, atingidos protestaram na porta do TJMG, organizados pelo Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) que tem feito um trabalho fundamental na luta pelos direitos das pessoas afetadas pelo crime e por justiça às vítimas. Esta homologação do acordo descartou previamente qualquer consideração dos atingidos, além de ter sido fechado sem qualquer divulgação para a sociedade.

A Comissão Externa da Câmara que apura esta negociação, coordenada pelo deputado federal Rogério Correia, e a Assembleia Legislativa também não tiveram acesso aos termos do acordo. Inclusive, a Comissão Externa solicitou um prazo, que não foi respeitado, para que fosse analisado o conteúdo final.

“O colegiado vai agora estudar quais serão as medidas judiciais a serem tomadas para que a Vale não saia levando vantagens sobre as vítimas e que garanta a participação dos atingidos”, comenta o deputado Rogério Correia.

Na próxima segunda-feira (08/02) a Comissão Externa fará uma reunião com todos os atingidos para debater o acordo. Será também agendada para a próxima semana uma audiência pública com os atingidos e representantes do governo de Minas, do TJMG, Ministério Público, Defensoria Pública para que se esclareça os termos da negociação.