• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

TST propõe reajuste pela inflação e manutenção de direitos a aeronautas

Categoria fará assembleias nesta quinta-feira (6), em várias regiões, para avaliar a propostas. Trabalhadores e empresas devem responder até a semana que vem

Publicado: 05 Dezembro, 2018 - 18h05 | Última modificação: 05 Dezembro, 2018 - 18h39

Escrito por: RBA

Reprodução
notice
Aeronautas durante greve da campanha salarial de 2016

O vice-presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministro Renato de Lacerda Paiva, propôs nesta quarta-feira (5) que as empresas do setor da aviação civil deem reajuste aos aeronautas com base na inflação (INPC) acumulada do período, incluindo benefícios e diárias, além de manter todas as cláusulas da convenção coletiva da categoria.

Os aeronautas (pilotos, copilotos, comissários, mecânicos e engenheiros que compõem a tripulação dos voos), que têm data-base em 1º de dezembro, fazem assembleia amanhã e devem responder até a próxima segunda-feira (10), enquanto as companhias têm até terça para se manifestar.

"Ainda que pudesse ser atrativo para as empresas aéreas o caminho de buscar a solução do conflito por meio de julgamento, tal saída teria custos intangíveis e incalculáveis para a categoria patronal e para os clientes", afirmou o magistrado.

A mediação foi solicitada pelos trabalhadores por meio do Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA). As empresas não queriam conceder reajuste pela inflação sem alterar cláusulas sociais, deixando de aumentar pelo INPC, por exemplo, o valor das diárias.

Para o vice-presidente do TST, a proposta contém "avanços significativos". Ele defendeu a "necessidade de pacificação" para evitar que o conflito vá a julgamento. "Reconheço que ambas as partes se esforçaram para superação dos diversos impasses em busca de um consenso.'

O Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) convocou assembleias para esta quinta-feira (6) à tarde, no Rio de Janeiro, em São Paulo, Brasília, Porto Alegre e em Campinas (SP). Eles avaliarão a proposta apresentada pelo TST.

> Confira aqui a íntegra da proposta

carregando
carregando