• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Trabalhadores no mundo estão indignados e querem Lula Livre

Indignação será transformada em luta: no próximo dia 11, parlamentares e sindicalistas irão ao parlamento europeu, em Bruxelas, em defesa da liberdade de Lula e dia 23 ação global pedirá liberdade para Lula.

Publicado: 09 Abril, 2018 - 17h52 | Última modificação: 11 Abril, 2018 - 00h05

Escrito por: Érica Aragão

Ricardo Stuckert
notice
Ato no nordeste

A prisão do ex-presidente Lula, desde a noite de sábado (7), tem despertado apoio e solidariedade de sindicalistas do mundo todo. É uma prisão política, dizem dirigentes sindicais de todas as centrais do Brasil e do mundo, que têm se mobilizado pedindo a liberação de Lula em atos e pronunciamentos. 

 “A prisão política do Lula tem mobilizado trabalhadores e trabalhadoras do mundo todo porque eles sabem que a condenação do ex-presidente foi um absurdo, uma injustiça sem tamanho e sem precedentes na história mundial”, explicou o secretário das Relações Internacionais da CUT, Antônio Lisboa.

Na próxima quarta-feira (11), parlamentares e sindicalistas do mundo irão ao Parlamento Europeu denunciar a realidade brasileira e pedir a libertação de Lula. E no próximo dia 23, com a coordenação da Confederação Sindical Internacional (CSI), será realizada uma ação global de defesa do Lula e de denúncia do golpe brasileiro com ações nas embaixadas brasileiras.

A CUT está recebendo mensagens de apoio, vídeos e textos, de sindicalistas de vários países.

Confira:  

Em um dos vídeos de solidariedade ao ex-presidente, o secretário-Geral adjunto da Central Sindical Internacional da África (CSI-África), Adrien Akoute, chama Lula de presidente não só dos trabalhadores e trabalhadoras brasileiras, mas sim de todo mundo. Além disso, ele exige que a Justiça brasileira esteja a serviço dos trabalhadores.

O presidente da central sindical da Nigéria [Nigerian Labour Congress], Ayuba Wabba, citou a situação dos problemas no Brasil desde o golpe, particularmente a situação da justiça e imparcialidade com o ex-presidente Lula e elogiou a participação da CUT em defesa do Lula.

“Saudamos a coragem da CUT e do Sindicato dos Metalúrgicos por se manterem ao lado da verdade e da justiça. E, portanto, nós, os trabalhadores nigerianos, mais uma vez estendemos nossa solidariedade e apoio a Lula e a toda a classe trabalhadora do Brasil”, disse Ayuba.

Para o secretário-geral da Federação dos Sindicatos da África do Sul - FEDUSA (Federation of Union South Africa), Denis George é preciso trazer justiça para Lula e democracia para a classe trabalhadora.

O secretário internacional da Central Sindical da Inglaterra (TUC), Owen Tudor diz que é muito importante defender os direitos do ex-presidente Lula. “Seus direitos precisam ser defendidos para que ele possa ser presidente novamente e defender nossos direitos no futuro”.

O secretário-Geral Adjunto da CSI Mamadou Dialow disse que se preocupa com a pressão e a agressão sofrida pelo presidente Lula. "Nós Somos contra essa injustiça, lutamos pela liberdade de Lula e pela democracia. Nós somos todos Lula"

Para o secretário de Relações Internacionais, Antônio Lisboa, é compreensível tanta manifestação de apoio dos trabalhadores e trabalhadoras no Brasil e no mundo.

 “Neste século nenhum presidente deu tanta atenção às causas dos trabalhadores e implementou tantas políticas de combate às desigualdades quanto Lula”.

carregando
carregando