• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Servidores em todos o Brasil organizam greve e paralisações no dia 18 de agosto

Data marca a greve dos servidores públicos em todo o Brasil contra a reforma Administrativa. Luta inclui a defesa de empregos, direitos e convocação para os atos se estende a toda a classe trabalhadora

Publicado: 13 Agosto, 2021 - 14h56 | Última modificação: 16 Agosto, 2021 - 11h01

Escrito por: Andre Accarini

Arte: Edson Rimonatto/CUT
notice

A CUT e demais centrais sindicais reforçam a convocação para a mobilização do dia 18 de agostoDia Nacional de Luta e Paralisações contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) n° 32, da reforma Administrativa, contra as privatizações e por geração de emprego.

A data marca a greve nacional dos servidores públicos federais, estaduais e municipais contra a  reforma Administrativa apresentada pelo governo de Jair Bolsonaro (ex-PSL), que representa a destruição dos serviços públicos e um ataque aos servidores. Atos estão sendo organizados em todos os estados. Confira abaixo onde já tem local e hora marcada para manifestações.

Leia Mais: Dia de Luta contra a reforma Administrativa e por direitos mobiliza trabalhadores

Sérgio Nobre, presidente da CUT, afirma que o momento é muito grave. A PEC 32, da reforma Administrativa, ele diz, “nada mais é do que criar as condições para contratação de forma precária no serviço público, sem concurso e com menos direitos”.

Se a reforma for aprovada, acaba a estabilidade dos servidores, colocando em risco o compromisso com o serviço público. Também dirigente da CUT, Pedro Armengol, alerta que a reforma abre espaço para que governos contratem trabalhadores que servirão os interesses do gestor, ou sejam do mandato, destruindo assim a característica mais básica dos servidores que é servir à população.

“Isso compromete a qualidade dos serviços prestados aos cidadãos”, diz Armengol.

A luta do Dia 18, que também é de todos os brasileiros que dependem do serviço público, inclui as pautas urgentes como a luta pelo auxílio emergencial de R$ 600, vacina já, por mais empregos, contra a carestia, os altos preços dos alimentos e a inflação.

“O desemprego e o desalento são recorde e Bolsonaro continua atacando os direitos dos trabalhadores, como na reforma Administrativa e, esta semana, com a reforma Trabalhista contida na MP 1045 que recria a carteira verde amarela, com empregos precários, com salários inferior ao mínimo e sem direitos”, diz Sérgio Nobre.

Privatizações

Outra bandeira de luta é a defesa do patrimônio brasileiro nas mãos do Estado como mecanismo de indução ao desenvolvimento e não nas mãos da iniciativa privada que visa apenas o próprio lucro. Por isso, empresas privatizadas significam preços mais altos como nos combustíveis e na energia elétrica e serviços de qualidade questionável.

“Bolsonaro quer vender estatais que são instrumento de desenvolvimento no país. A entrega da Eletrobras, dos Correios, da Petrobras, de instituições como os bancos públicos, representam um enorme retrocesso, um grande prejuízo a todos os brasileiros”, diz o presidente da CUT.

Por isso, ele reforça: “É dia de luta, de paralisação, de protesto, então convoco toda a classe trabalhadora – que pare atividades e proteste!”

Confira onde tem atos marcados

Brasília

A CUT, entidades que representam os serviços públicos das três esferas além de outras categorias e movimentos sociais fazem, à partir das 10h uma manifestação na Esplanada dos Ministérios com direção ao Anexo II da Câmara dos Deputados. O ato contará com lideranças das entidades, carro de som, panfletagens e diálogo com a população.

Bahia

Em Salvador, ato em defesa dos serviços públicos e contra a reforma Administrativa a partir das 10h com concentração no Campo Grande e caminhada até à Praça Castro Alves

Ceará

Em Fortaleza o fórum Cearense dos Servidores Públicos das Três Esferas promove o ato “Cancela a Reforma”, às 8h, na Praça da Imprensa.

Em Antonina do Norte, ato de servidores públicos representados pelo Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municípal de Antônina do Norte, Saboeiro,Aiuaba e Arneiroz, na Rua Antonio Delfino. A luta inclui também pautas como a reposição salarial, aprovação do PL da Enfermagem e piso dos Agentes de Saude e Endemias.

Em Canindé, ato dos servidores públicos municipais, organizados pelo Sindsec, às 8h. na pauta também a luta contra práticas antissidicais por gestores do serviço público no municipio.

Espírito Santo

Na capital Vitória, ocorre o ato unificado dos servidores públicos contra a reforma administrativa, a partir da 8h30 na Praça Jucutuquara

Goiás

Em Goiânia o ato contra a PEC 32 acontece a partir das 9h em frente a Assembleia Legislativa

Minas Gerais

Em Belo Horizonte, o ato está programado para 17h, na Praça Central

Pará

Em Belém, assembleia com trabalhadores, ato público e manifestação e rua, a partir das 8h, no Mercado de São Brás

Paraná

Em Curitiba, manifestação às 18h, na Praça Santos Andrade.

Pernambuco

Ato em Recife com concentração no Parque 13 de maio, às 15h e caminhada pela Rua do Hospício até os Correios no Centro. Ato também às 15h em frente à Faculdade de direito do Recife. Haverá também Distribuição de cestas básicas (no horário da manhã)

Piauí

Em Teresina, o ato será realizado a partir das 8h, na Praça da Liberdade.

Rio de Janeiro

Na capital fluminense ato em defesa do Serviço Público e Contra a Reforma Adminsitrativa, às 16h, com concetração na Candelária e caminhada até o Alerjão.

Em Resende, ato às 17h no Mercado Popular

Em Nova Friburgo, ato contra a PEC 32 e #ForaBolsonaro, às 17h, na Rodoviária Urbana

Em Niterói, ato às 9h, em frente ao CE Liceu Nilo Peçanha

Rio Grande do Norte

Em Natal a manifestação acontece à partir das 14h, em frente à agência do INSS, na Rua Apodi

Rio Grande do Sul

Em Porto Alegre, o ato está marcado para 15h, na Praça Central

Rondônia

Em Porto Velho, ato público e panfletagem em defesa dos serviços públicos, às 8h, na esquina da Av. José Vieira Capúla com Av. Rio madeira.

Santa Catarina

Em Florianópolis, a CUT, centrais, Frente Fora Bolsonaro da Grande Florianópolis, sindicatos dos serviços públicos das três esferas fazem ato às 16h, em frente à Catedral.

São Paulo

Na capital paulista, o ato acontece às 15h, com concentração na Praça da República e caminhada até a Praça Clóvis.

Em Campinas, manifestação e passeata às 10h na Unicamp e às 17h30 no Largo do Rosário

Na Baixada Santista, em Santos, o ato será realizado às 10h na Praça Visconde de Mauá; e na Praia Grande, às 10h, em frente à Câmara Municipal.

Em Bauru, carreata às 15h30 com concentração na Praça da Paz.

Em Santo André, o Sindserv Santo André faz um ato às 10h em frente ao Paço Municipal

Sergipe

Na capital Aracaju, ato às 8h, em frente à Assembleia Legislativa do estado. Os professores e professoras da rede estadual e das 74 redes municipais filiadas ao SINTESE farão ato contra a reforma administrativa, por valorização do magistério e pela revogação do desconto de 14% nas aposentadorias e pensões dos servidores públicos estaduais.

 

  • Edição: Marize Muniz