• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Servidores de Valparaíso realizam vigília e ato público com paralisação

Objetivo é pressionar o prefeito Pábio Mossoró para que inicie as rodadas de negociação da Campanha Salarial 2018

Publicado: 20 Março, 2018 - 10h23 | Última modificação: 20 Março, 2018 - 10h30

Escrito por: CUT Brasília

CUT DF
notice

O funcionalismo público municipal de Valparaíso de Goiás intensificará a mobilização por direitos e contra o descaso do governo local em duas importantes agendas.

Nesta terça-feira (20), os trabalhadores realizarão vigília em frente à Secretaria de Educação, a partir das 14h, enquanto a direção do sindicato que representa os servidores – Sindsepem/Val – se reunirá com a comissão paritária do plano de carreira do magistério.  Já na quarta-feira (21), a categoria realizará ato público com paralisação geral de todas as atividades.

De acordo os diretores do Sindicato dos Servidores Públicos e Empresas Públicas Municipais de Val Paraíso de Goiás (Sindsepem/Val), o objetivo é pressionar o prefeito Pábio Mossoró para que inicie as rodadas de negociação da Campanha Salarial 2018.  A pauta de reivindicações é extensa, mas entre os principais pontos pleiteados estão o reajuste salarial das tabelas; correção salarial dos professores conforme o reajuste do piso nacional do magistério (6,81%); revisão dos planos de carreira com a manutenção das conquistas anteriores; implantação do auxílio-alimentação e vale transporte integral.

Além disso, os trabalhadores denunciam a nomeação de uma comissão ilegítima para tratar dos planos de carreira do magistério e o desmonte do Conselho Municipal de Previdência.

“Lutamos em defesa dos nossos direitos e pela instituição e funcionamento das comissões dos quatro planos de carreira – magistério; administrativos da educação; profissionais da saúde e da gestão pública – em conformidade com as leis que os regulamentam. Não permitiremos que desrespeitem os servidores e servidoras desta maneira. Contamos com a participação de todos”, ratifica a presidenta do Sindsepem/Val, Olízia Alves.