• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Sérgio Nobre: “greve dos entregadores é justa e tem total apoio da CUT”

Presidente nacional convoca todos os entes cutistas no País a se solidarizar e ajudar na organização da paralisação nacional marcada para esta quarta-feira, 1º de julho

Publicado: 30 Junho, 2020 - 08h54 | Última modificação: 30 Junho, 2020 - 12h00

Escrito por: Vanilda Oliveira

Reprodução
notice

O presidente nacional da CUT, Sérgio Nobre, convocou todos os sindicatos, federações, confederações e estaduais da Central Única dos Trabalhadores a apoiar a organização da greve dos trabalhadores e trabalhadoras que entregam alimentação por aplicativos. A paralisação de 24h acontece nesta quarta-feira, 1º de julho, em todo o Brasil.

“A categoria tem toda a nossa solidariedade. Essa é uma greve mais do que justa contra a precarização imposta a esses trabalhadores”, afirma Sérgio Nobre, ao se referir aos entregadores, que são 10,1 milhões no País, segundo dados do Pnad-IBGE 2018, divulgados em dezembro de 2019. Os motoristas de aplicativos são 3,4 milhões, de acordo com o mesmo levantamento.

Para falar da importância de os entes cutistas apoiarem essa paralisação, Sérgio Nobre resgatou o 13º Congresso Nacional da CUT, realizado em outubro de 2019.

“O CONCUT definiu que, para nós, é prioridade a organização dos trabalhadores e trabalhadoras em plataformas e para aplicativos como uber, os entregadores, microempreendedores individuais, autônomos”, disse o presidente da CUT. E prosseguiu: “Nós não podemos ignorar o crescimento desse seguimento que é da classe trabalhadora e que, portanto, tem o seu lugar dentro da Central Única dos Trabalhadores”, disse Sérgio Nobre.
 
“A tarefa da CUT diante dessa greve é colocar toda a nossa estrutura a serviço dos entregadores. É muito importante que nossos entes se coloquem à disposição da organização dessa paralisação e prestando toda solidariedade”.

“É absurdo, triste ver esses trabalhadores que cumprem jornadas de 12 horas por dia, sem descanso aos fins de semana, de domingo a domingo, chegar no final do mês e levar até menos de um salário mínimo para casa, sem direitos, sem proteção social, sem condições de trabalho nenhuma, sem regulamentação. Não podemos aceitar essa precarização”, disse o presidente da CUT.
 
E convocou: “Você trabalhador e trabalhadora que entregam alimentação para aplicativos, nunca se esqueçam que quem luta conquista, portanto, nesta quarta-feira, esqueçam o aplicativo, não trabalhem, para que essa greve se torne uma greve histórica e vitoriosa”.

Assista a íntegra do vídeo com a convocação: