• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Segundo tsunami da educação toma as ruas do Brasil. Confira o balanço da manhã

Mobilização alcança todos os estados do país com ampla adesão da sociedade

Publicado: 30 Maio, 2019 - 13h57 | Última modificação: 30 Maio, 2019 - 21h38

Escrito por: Vanessa Ramos - CUT

Jonas Santos/Mídia Ninja
notice
Protesto em Salvador (BA)

Nesta quinta-feira (30), dia nacional de mobilização contra a reforma da Previdência e cortes de verbas na educação propostos pelo governo de Jair Bolsonaro (PSL), milhares de brasileiros ocupam as ruas de cidades de todo o país em mais um tsunami em defesa do ensino público e da aposentadoria, rumo à greve geral do dia 14 de junho.

A tag #30MpelaEducacao ocupou a primeira posição do Twitter Brasil nesta manhã. E a quarta posição no ranking mundial.

A mobilização conta com a participação de profissionais da educação, estudantes e trabalhadores de diferentes categorias e outros setores da sociedade.

Convocada pela União Nacional dos Estudantes (UNE) e a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), os protestos contam com apoio da CUT e de entidades filiadas à Central, como a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), a Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam) e a Federação Única dos Petroleiros (FUP).

Confira o balanço dos atos realizados na manhã desta quinta-feira

ACRE

Em Rio Branco (AC), estudantes de diferentes áreas, professores, sindicatos e movimentos sociais e sindical participaram de ato na Praça da Revolução. Nas ruas, os cartazes também chamam para a greve geral de 14 de junho. 

Manoel Façanha/Fetec-ACManoel Façanha/Fetec-AC

ALAGOAS

Estudante, professores e apoiadores da educação estão unidos pela educação e contra os cortes do governo Bolsonaro na Universidade Federal de Alagoas, Campus do Sertão. Em Penedo (AL) também houve protesto contra os cortes da educação.

Divulgação/UNEDivulgação/UNE

 

BAHIA

Em Salvador, na Praça Campo Grande, manifestantes realizaram um ato em defesa da educação.

Levante Popular da JuventudeLevante Popular da Juventude 

Em Camaçari (BA), professores e estudantes se concentraram na Praça Montenegro, no centro da cidade. Na BR-101. 

Em Teixeira de Freitas, sul da Bahia, manifestantes também bloquearam a rodovia.

Em Serrinha (BA) teve aula na Praça Morena Bela em defesa da educação pública e de qualidade. 

GutoSantos/Nicley Santos-Mídia NinjaGutoSantos/Nicley Santos-Mídia Ninja

Em Feira de Santana (BA) teve caminhada na Avenida Getúlio Vargas reunindo centenas de pessoas.

Mídia NinjaMídia Ninja

Na cidade de Planalto (BA), os estudantes foram às ruas com cartazes com frases como "Reescrever o mundo com um lápis e não com armas" e "Sou da balbúrdia, defendo a educação".

reproduçãoreprodução

 

Em Guanambi (BA), todas as escolas do município e o Instituto Federal estão paralisados com estudantes e professores nas ruas.

foto: Une/reproduçãofoto: Une/reprodução

Manifestações também foram realizadas em Vitória da Conquista (BA).

Reprodução/UNEReprodução/UNE

Debaixo de chuva, em Santo Antônio de Jesus (BA), estudantes ocuparam as ruas em defesa do direito à educação pública.

A 400 km da capital baiana, na cidade de Maracás (BA), estudantes e trabalhadores também protestaram. No município, professores de escolas públicas não deram aula e os alunos foram às ruas para se manifestar.

Divulgação/CUT BahiaDivulgação/CUT Bahia

 

Mesmo debaixo de chuva, os estudantes e professores foram às ruas em Santo Antonio de Jesus.

Uma aula sobre Previdência Social também foi realizada no Coreto da Praça Central de Cruz das Almas, no norte do estado da Bahia.

CEARÁ

Na cidade de Limoeiro do Norte (CE), alunos e professores fizeram caminhada e pararam a reunião legislativa da Câmara Municipal durante o protesto. Também houve manifestação em Iguatu (CE).

Em Barbalha, também no Ceará, as ruas foram tomadas por estudantes, movimentos sociais e pela CUT, em defesa da educação e contra a reforma da Previdência.

Leandro Medeiros/Midia NinjaLeandro Medeiros/Midia Ninja

Em Iguatu, estudantes, movimentos sociais e a CUT mostraram determinação na luta contra os cortes de recursos na educação.

Tarcisio Aquino/CUT CearáTarcisio Aquino/CUT Ceará
DISTRITO FEDERAL

Mobilização começou pela manhã na Praça do Museu Nacional da República, em Brasília. Depois os manifestantes fizeram uma passeata pelas ruas. 

Divulgação/PTDivulgação/PT

GOIÁS

Em Ceres (GO), os manifestantes estão mobilizados pela educação. Na faixa de protesto, eles carregam os seguintes dizeres: "Defendemos as universidades e institutos federais contra o corte de verbas".

reproduçãoreprodução

Em Catalão (GO), o protesto foi realziado em frente à Prefeitura Municipal.

Protestos também foram realizados em Catalão, Posse e Cavalcante (GO). Confira aqui a cobertura no portal da CUT-Goiás

MARANHÃO

Em São Luís (MA), estudantes e professores promoveram aula nas ruas. Na parte da tarde, eles realizarão um ato na capital.

Brasil de FatoBrasil de Fato

MATO GROSSO

Em Rondonópolis (MT) estudantes, professores e trabalhadores se reuniram desde cedo para protestar em defesa da educação;

Midia NinjaMidia Ninja

 

Também em Mato Grosso, na cidade de Tangará da Serra, estudantes e professores se uniram para defender a educação.

Bem NotíciasBem Notícias

MATO GROSSO DO SUL

Indígenas dos povos Terena e Guarani Kaiowá fecharam a BR 262 no município de Aquidauana-MS em defesa da educação.

UNEUNE

 

MINAS GERAIS

Em Visconde do Rio Branco (MG) teve passeata dos estudantes e trabalhadores pela rua da cidade em defesa da educação. Estudantes de Viçosa (MG) também se somaram aos protestos deste dia em defesa da educação pública.

Divulgação/BdfDivulgação/Bdf

PARÁ

As aulas em Belém estão suspensas na Universidade Federal do Pará, na Universidade Federal Rural da Amazônia e no Instituto Federal do Pará.

Estudantes, trabalhadores também ocuparam as ruas de Marabá (PA) em defesa da educação e pelo direito de se aposentar.

ReproduçãoReprodução

PARAÍBA

Em João Pessoa e Sousa ocorreram atos organizados por estudantes e professores. Houve uma panfletagem e passeata na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), no campus de João Pessoa, e diálogo com a população no Calçadão localizado no centro da cidade de Souza.

Na cidade de Patos, na Paraíba, estudantes e a população deram um recado contra os cortes de verbas nas universidades e Institutos Federais de Educação, a reforma da Previdência e rumo à greve geral. 

Zé Gonçalves/Brasil de FatoZé Gonçalves/Brasil de Fato

PARANÁ

Em Curitiba, estudantes e professores se reúnem no Campus da Universidade Tecnológica Federal do Paraná. No prédio da universidade, eles estenderam uma faixa “Em defesa da universidade pública”. Alunos, professores e funcionários da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), em Cascavel, participam das mobilizações em defesa da educação. Eles se reuniram deste às 7h na universidade para protestar e convocam também para a greve em 14 de junho. Ato em defesa da educação também ocorreu na cidade de Maringá. 

Foto: UNEFoto: UNE

PERNAMBUCO

Trabalhadores realizaram no início da manhã um ato público em prol da Educação, em frente a Refinaria Abreu e Lima, no Porto de Suape. A categoria deliberou em Assembleia Geral, a aprovação da Greve Geral do próximo dia 14 de junho.

ReproduçãoReprodução

EM Caruaru, teve aula pública e a realização de um grande ato (foto). 

divulgaçãodivulgação

Em Flores (PE), estudantes levaram cartazes às ruas para defender a educação

UNEUNE

Também em Pernambuco houve manifestações em Araripina e São José do Egito. Já em Garanhuns, alunos, professores e defensores da educação participaram de uma aula pública.

PIAUÍ

Em Teresina, os manifestantes se reuniram na Praça da Liberdade, no centro de capital piauiense e, depois, fizeram caminhada pela Avenida Frei Serafim em defesa da educação rumo à greve geral do dia 14 de junho. Também houve protesto em Picos (PI).

ReproduçãoReprodução

RIO DE JANEIRO

Em Campos, no Rio de Janeiro, os protestos começaram com o bloqueio da entrada principal da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf). Em Petrópolis, os estudantes fizeram o esquenta com confecção de cartazes para os protestos durante a tarde (foto). Outros atos estão previstos na capital, às 16h, na Candelária; em Volta Redonda, às 17h, na Praça Juarez Antunes; e em Petrópolis, às 17h, na Praça Dom Pedro.

Thiago Flores/Mídia NinjaThiago Flores/Mídia Ninja

 RIO GRANDE DO NORTE

Estudantes e professores foram às ruas na cidade de Pau dos Ferros (RN) com cartazes dizendo “Não ao desmonte da educação”.

DivulgaçãoDivulgação

RONDÔNIA 

Em Porto Velho, estudantes trancam os portões da Universidade Federal de Rondônia (UNIR).

Nara Reis/Brasil de FatoNara Reis/Brasil de Fato

SANTA CATARINA

Em Florianópolis, capital do estado, estudantes da Universidade Federal de Santa Catarina fazem Assembleia Unificada.

Pricila Baade/CUT-SCPricila Baade/CUT-SC

SÃO PAULO

Em Presidente Prudente, trabalhadores e estudantes se reuniram na Praça 9 de Julho, no centro de Presidente Prudente (SP). Este foi o segundo grande Ato Nacional da Educação e Contra a Reforma da Previdência realizado neste ano. Em Jundiaí, interior de São Paulo, manifestantes também realizaram ato.

Em São Carlos (SP), estudantes e trabalhadores protestaram no centro da cidade, para o segundo Ato Nacional da Educação e Contra a Reforma da Previdência.

 

Fábio Maudício/CCFábio Maudício/CC

Em Taubaté, a luta começou cedo e com unidade. Os sindicatos da região do Vale do Paraíba se reuniram para assembleia na portaria da fábrica LG, em defesa da educação e contra a reforma da Previdência.

DivulgaçãoDivulgação

 

Também no interior do estado, em Jundiaí, houve manifestação neste 30 de Maio

Bernardo ViannaBernardo Vianna

 

Em Itaquaquecetuba (foto abaixo), a aula pública foi na praça central. 

 

Em Santos, no litoral paulista, os trabalhadores petroleiros realizaram ato em defesa da educação e contra a privatização e a Reforma da Previdência. Em Itaquaquecetuba, os manifestantes realizaram aula pública contra os cortes na educação e contra a reforma da Previdência.

SERGIPE

Em Simão Dias (SE), os estudantes secundaristas protestaram nas ruas da cidade.

 

TOCANTIS

Em Palmas (TO), estudantes e professores realizam uma aula sobre a Reforma da Previdência Social para estudantes no Instituto Federal do Tocantins (IFTO).

ReproduçãoReprodução