• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Segunda onda da pandemia se alastra mais na Europa do que no resto do mundo

Espanha teve novo recorde de casos confirmaado nas últimas 24 horas e a França continua a ser o país da União Europeia com maior número de novos casos diários, apesar de o país estar em lockdown

Publicado: 06 Novembro, 2020 - 12h18 | Última modificação: 06 Novembro, 2020 - 12h41

Escrito por: Redação CUT

Reprodução
notice

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, mais de 48,8 milhões de pessoas em todo o mundo foram contaminadas e 1.235.985 morreram vítimas de Covid-19, doença provocada pelo novo vírus.

Alguns países, como Estados Unidos, com 9,6 milhões de pessoas infectadas e 235.030 óbitos; Índia, com 8,4 milhões de contaminados e 124.985 mortes e Brasil, com 5,5 milhões de casos e 161.106 vidas perdidas ainda não saíram da primeira onda e continuam registrando números altos tanto de novos casos quanto de mortes. Em 24 horas, o Brasil registrou 609 mortes e 23.317 novos casos confirmados da doença, apesar de as médias semanais estarem caindo.

Um dia depois das eleições presidenciais nos Estados Unidos, que não saiu da primeira onda, o país teve novo recorde de contágios, mas é a Europa o epicentro da pandemia.

Segunda onda

Já na Europa, que ficou meses sem registrar casos, a pandemia voltou acelerada e a região passou a ser o epicentro da crise sanitária, com o aumento crescente do número de casos confirmados todos os dias.

A Espanha, que tem no total 1,3 milhão de casos e 38.486 mortes, registrou novo recorde de contágios nas últimas 24 horas. Já a França, que tem no total 1,6 milhão de casos e 39.088 mortes, continua a ser o país da União Europeia com maior número de novos casos diários, apesar de o país estar em lockdown.

A sobrecarga de doentes em cuidados intensivos já levou a França a transferir internados, por via aérea, para unidades hospitalares de regiões do país menos atingidas. O país registrou 367 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas.

No total, há 28.426 pessoas hospitalizadas na França com a doença e 4.230 desses pacientes estão em unidades de tratamento intensivo.

Os casos detectados continuam a aumentar de forma exponencial diariamente, tendo sido identificados, na quarta-feira (4), 58.046 novos infectados, um novo recorde desde o início da pandemia.

O ministro da Saúde, Olivier Véran, disse que a segunda onda na França é "violenta" e que a situação nos hospitais é "tensa", tendo já havido necessidade de transferir 61 pacientes entre diferentes hospitais.

Com informações da Agência Brasil.