• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

RS: Servidores públicos realizam ato contra pacotes de Eduardo Leite e Bolsonaro

A concentração inicia às 13h30, em frente à sede do CPERS, na Avenida Alberto Bins, 480

Publicado: 14 Novembro, 2019 - 09h51 | Última modificação: 14 Novembro, 2019 - 09h57

Escrito por: CUT-RS

Divulgação/CUT-RS
notice

A Frente de Servidores Públicos do Rio Grande do Sul (FSP/RS), integrada pela CUT-RS, promove nesta quinta-feira (14) um ato unificado do funcionalismo estadual, federal e municipal, em Porto Alegre. A mobilização será precedida de assembleias de sindicatos que representam servidores.

A concentração inicia às 13h30, em frente à sede do CPERS (Avenida Alberto Bins, 480). A manifestação segue em direção ao Palácio Piratini, às 14h, onde acontece o protesto ao pacote apresentado pelo governador Eduardo Leite (PSDB) e protocolado nesta quarta-feira (13) pelo líder do governo, deputado Frederico Antunes (PP) na Assembleia Legislativa.

Trata-se de seis projetos de lei, um projeto de lei complementar e uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC). A maioria dos textos foi encaminhada pelo governador com regime de urgência, exceto a PEC que não tem exigência de tempo, em função da legislação vigente. 

“Vamos dar uma resposta contundente ao Leite, que quer terminar a destruição dos serviços e do patrimônio do povo gaúcho, o que começou no governo Britto e continuou nos governos Yeda e Sartori. Temos que resistir e defender as funções públicas do estado e impedir que roubem os direitos dos servidores, que já sofrem com 47 meses de salários atrasados e parcelados e estão há cinco anos sem qualquer reajuste”, afirma o presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo.

Segundo o CPERS, é um pacote que leva ao extermínio de direitos, confisco de dinheiro dos aposentados, achatamento da carreira e congelamento salarial por tempo indeterminado.

“Não há meias palavras. A intenção do governo é destruir a escola pública e o conjunto dos serviços prestados à população”, ressalta a presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer.

Serão denunciados também a proposta de reforma administrativa e os novos pacotes de reforma trabalhista do governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) e as políticas de desmonte do prefeito da Capital, Nelson Marchezan Jr (PSDB).

"Vamos também chamar a atenção da sociedade para as maldades do Bolsonaro contra os servidores federais e a classe trabalhadora, que retiram ainda mais direitos conquistados com muita luta ao longo de décadas de luita, precarizando empregos, empobrecendo funcionários, fragilizando os serviços públicos e comprometendo o  presente e o futuro do Brasil", destaca Nespolo. 

"Além disso, não vamos nos esquecer dos ataques do Marchezan contra os servidores públicos, que continuam e estão em sintonia com a pauta de retrocessos do Leite e do Bolsonaro", salienta o dirigente da CUT-RS.

Quem integra a FSP/RS

ADUFRGS, AFAGRO, AFOCEFE-Sindicato, ASSUFRGS, CEAPE-Sindicato, CPERS, CUT/RS, CTB/RS, INTERSINDICAL, FETRAFI-RS, SEMAPI-RS, SENERGISUL, SIMPE-RS, SINASEFE, SINDIÁGUA, SINDICAIXA, SINDJUS/RS, SINDPERS, SINDSEPE/RS, SINDISERF/RS SINPRO/RS, SINTERGS, SINTRAJUFE-RS e UGEIRM