MENU

Prédio com bandeira de Lula em Recife é alvo de ataque a tiros

Moradores do edifício Nápoles, localizado no bairro Casa Amarela, na zona norte da capital pernambucana, ouviram duas rajadas de tiros

Publicado: 21 Setembro, 2022 - 18h10 | Última modificação: 21 Setembro, 2022 - 18h23

Escrito por: Redação RBA

Marco Zero Conteúdo/Reprodução
notice

Em novo caso de violência com possível motivação política, moradores do edifício Nápoles, em um bairro da zona norte de Recife, acordaram em pânico na madrugada desta quarta-feira (21), após rajadas de tiros contra o prédio.

De acordo com informações do site Marco Zero Conteúdo, ao menos dois disparos atingiram a varanda do apartamento 602, no sexto andar, onde os moradores montaram uma grande bandeira vermelha com a estrela do PT.

Mais três disparos atingiram apartamentos nos andares logo abaixo ao da varanda com bandeira de apoio à candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Dois deles destruíram os vidros de um apartamento onde mora um casal com uma criança de apenas três anos. As cápsulas foram encontradas na sala da casa da família, por volta das 3h30. Outro projétil foi achado em um terceiro apartamento. O crime foi registrado pela manhã na delegacia do bairro. 

Motivação política assusta

“Poderia ter acontecido uma tragédia”, lamentou o síndico Mitael Sales, que é o morador do apartamento com a bandeira de Lula. Em entrevista ao Marco Zero Conteúdo, o síndico explicou que a polícia investiga tanto a possiblidade de ter ocorrido um tiroteiro na rua da frente, em que balas perdidas atingiram o prédio, como ter sido motivado por causa da bandeira. “E essa é uma hipótese assustadora. A polícia que deve averiguar qual foi a motivação”, afirmou Sales. 

O edifício fica na Rua Professor José dos Anjos, em um trecho bastante calmo, sem pavimentação, perto da Horta Comunitária de Casa Amarela. O porteiro noturno do prédio relatou que estava tudo em silêncio absoluto, até que ouviu os tiros na madrugada. Ele também negou ter escutado gritos, discussões ou barulho de carro saindo em alta velocidade. As imagens das câmeras de segurança do prédio estão sendo levantadas e serão entregues à polícia.

Ainda que a motivação não tenha sido confirmada, o síndico já destacou que retirará a bandeira vermelha após a perícia policial. “Não só pela minha segurança, mas pela segurança das outras pessoas que moram no prédio. Mesmo sendo ainda apenas uma hipótese, é algo grave e que nos deixa assustados”, explicou. 

Violência tem lado

No último dia 15, uma pesquisa Datafolha mostrou que o medo da violência política pode ajudar o atual presidente Jair Bolsonaro (PL) na eleição, no próximo dia 2 de outubro. Encomendado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) e pela Rede de Ação Política pela Sustentabilidade (Raps), o estudo mostrou que 10% dos eleitores de Lula afirmam que podem deixar de votar por medo da violência no dia do pleito. 

O resultado é o dobro do total de 5% de eleitores de Bolsonaro que afirmaram que podem se abaster por temer a violência. Os casos de agressões vêm se multiplicando pelo país de todos os lados políticos. Mas os assassinatos por motivos eleitorais têm como únicos agressores apoiadores do atual mandatário. 

A pesquisa Datafolha também mostrou que 67,5%, entre 2.100 entrevistados, responderam ter medo de serem “agredidos fisicamente pela sua escolha política ou partidária”. Os dados foram coletados em 130 municípios, entre 3 e 13 de agosto. O levantamento também identifica que 3,2% dos entrevistados sofreram ameaças por motivos políticos naquele mês.