• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Pelo segundo dia, Brasil tem alta na média móvel de mortes por Covid-19

Desde o começo da pandemia 21.307.960 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, 25.348 casos foram confirmados em 24 horas

Publicado: 24 Setembro, 2021 - 12h20 | Última modificação: 24 Setembro, 2021 - 12h22

Escrito por: Redação CUT

Alex Pazuello/Semcom
notice

O Brasil completou dez dias com a média móvel de mortes por Covid-19 acima de 500. Nesta quinta-feira (23), foram 661 óbitos em 24 horas, totalizando 593.018 vidas perdidas desde o início da pandemia.

A média móvel de mortes nos últimos 7 dias ficou em 534, segundo o consórcio de imprensa. Em comparação à média de 14 dias atrás, houve um aumento de 18%, apontando uma tendência de alta pelo segundo dia, após três meses de estabilidade.

Em casos confirmados, o Brasil acumula desde o começo da pandemia 21.307.960 brasileiros que já tiveram ou têm o novo coronavírus - 25.348 foram registrados em 24 horas. A média móvel nos últimos 7 dias foi de 34.366 diagnósticos por dia, e também passa a indicar tendência de alta.

O estado de São Paulo registrou 193 novas vítimas da Covid em 24 horas. O Rio de Janeiro também ultrapassou a barreira dos 100 óbitos no período, com 155. Rondônia e Amapá não notificaram mortes pela pandemia nesta quinta.

Nove estados aparecem com tendência de alta nas mortes: AC, AP, TO, PA, PR, ES, SP, RJ e SE.

No topo do ranking de mortes por estado estão São Paulo (148.688), Rio de Janeiro (65.382), Minas Gerais (54.212), Paraná (38.685) e Rio Grande do Sul (34.700). Na parte de baixo da lista estão Acre (1.836), Amapá (1.975), Roraima (1.988), Tocantins (3.757) e Sergipe (6.007).  

Delta e Gama são responsáveis por 99% dos casos sequenciados no país

Um levantamento da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) mostra que as variantes Gamma e Delta são responsáveis por 99% dos casos do novo coronavírus sequenciados no país.

A plataforma da Fiocruz armazena mais de 38 mil amostras de todo o país desde setembro de 2020. De acordo com o Genomahcov, que acompanha as linhagens em circulação da Covid-19 no Brasil, nos últimos dois meses, 74,5% dos 4.892 sequenciamentos feitos no Brasil foram da variante Delta.

Em seguida, vem a Gamma com 23,6% dos casos. Devido ao aumento da transmissibilidade e virulência, tanto a Delta quanto a Gamma são classificadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como Variantes de Preocupação (VOC).

Os outros 1,9% sequenciados correspondem a linhagens de cepas como a Alfa, Beta, Mu. Entre os estados com maior número de casos de variante no último ano está São Paulo (13.555), seguido pelo Rio de Janeiro (5.600), Amazonas (1.640) e Rio Grande do Sul (1.596).

No último ano, ainda segundo a Fiocruz, foram identificadas pelo menos 95 linhagens diferentes do vírus.

Vacinação

Os números do consórcio de imprensa mostram que subiu nesta quinta-feira (22) o número de vacinados com a primeira dose em 24 horas. Foram 1.251.572 pessoas vacinadas com a primeira dose, mais de um milhão tomaram a dose única e 44.907 receberam a dose de reforço. No total, mais de 2,3 milhões de pessoas foram vacinadas no dia.

Há 22 dias esse número não passava de 1 milhão.

Até agora, mais de 144 milhões de brasileiros receberam a primeira dose, ou 67,65% da população. E mais de 84 milhões estão completamente vacinados, ou 39,58%. A dose de reforço foi aplicada até agora em 471.117 pessoas.