• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

PE: Jornalistas da Rede Tribuna de televisão enfrentam atraso salarial

Atualmente, a categoria acumula vários meses de salário em aberto

Publicado: 23 Abril, 2021 - 15h30 | Última modificação: 23 Abril, 2021 - 15h43

Escrito por: SINJOPE e FENAJ

Reprodução
notice

O direito ao salário em dia não é um favor que se faz ao empregado, mas a remuneração, nem sempre justa, pelo tempo, disposição e suor empregados no negócio do patrão. O trabalhador é quem faz a empresa funcionar em qualquer situação. No caso do jornalismo, não há notícia sem uma equipe de profissionais.

A forma como a Rede Tribuna de Televisão, ligada ao Grupo Nassau em Pernambuco, vem tratando seus trabalhadores,  é alarmante e precisa ser denunciada amplamente junto à sociedade civil organizada e aos poderes LEGISLATIVO, JUDICIÁRIO E EXECUTIVO, bem como ao mercado publicitário. Embora existam dificuldades relacionadas à gestão da empresa, entendemos que não pode haver falta de iniciativas e boa vontade em procurar soluções. “Empurrar o problema com a barriga” ao longo dos meses, como vem ocorrendo, não é sinal de quem busca solução efetiva para a classe trabalhadora.

Atualmente, a categoria acumula vários meses de salário em aberto.  Esta é uma prática abusiva que vem se estabelecendo desde 2020 por parte da empresa, negligenciando seu dever básico trabalhista, inclusive em relação ao não pagamento da contribuição previdenciária do INSS e não recolhimento dos valores do FGTS. 


Aos jornalistas que somente detém sua força de trabalho e mantém a programação local da TV e do Rádio ativa restam dívidas, desespero, noites sem dormir, vergonha, humilhação, indignidade. Muitos enfrentam doenças na família e alguns chegaram até mesmo a contrair o novo coronavírus, a Covid-19, em virtude da exposição diária para o cumprimento de pautas jornalísticas.  Como constante sinal de desrespeito, a TV TRIBUNA também descumpre protocolos básicos de segurança sanitária dentro da própria empresa, com banheiros e corredores insalubres, além da infraestrutura interna comprometida.  


O silêncio, a omissão e a inércia ferem a nossa dignidade. Iremos à Justiça do Trabalho em busca de reparação dos direitos dos jornalistas da REDE TRIBUNA DE TELEVISÃO DE PERNAMBUCO
Exigimos mais respeito, valorização do ser humano e dignidade do trabalho jornalístico.

Recife, 23 de abril de 2021

SINDICATO DOS JORNALISTAS DO ESTADO DE PERNAMBUCO – SINJOPE
FEDERAÇÃO NACIONAL DOS JORNALISTAS - FENAJ