• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Pandemia já tirou mais 166 mil vidas no Brasil e segue com média alta de mortes  

Em São Paulo, estado mais afetado pela Covid-19, média móvel de internações sobe para mil e obriga governador tucano a adiar a reabertura total das atividades econômicas 

Publicado: 17 Novembro, 2020 - 12h13 | Última modificação: 17 Novembro, 2020 - 13h13

Escrito por: Redação CUT

Reprodução
notice

Desde o início da pandemia, em março, até a manhã desta terça-feira (17), o Brasil já perdeu 166.078 vidas para a Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus, segundo o consórcio de imprensa.

No total, 5.876.791 de pessoas foram contaminas, muitas se recuperaram e outras seguem com sequelas leves, como muito cansaço, ou graves como problemas no coração e na circulação.

A pandemia segue registrando números altos diários de mortes e contaminações, apesar de reabertura da economia em todo o país.

Em São Paulo, durante semanas médicos alertaram para o aumento do número de internações em hospitais particulares. O governo do estado dizia que não era bem assim. Até ontem, quando o governador João Doria (PSDB) voltou atrás na sua ideia de flexibilizar totalmente a economia no estado.

Agora, depois do primeiro turno das eleições municipais, se sabe que nos hospitais públicos também vem aumentando o número de internações.

Por causa do aumento de 18% nas internações por Covid-19, o governo de São Paulo, estado mais afetado pela pandemia do novo coronavírus, com 1.117 milhão de casos e 39.311 óbitos, decidiu adiar a reclassificação que estava programada para esta segunda-feira (16) do Plano SP. O plano é o conjunto de medidas restritivas adotadas para controlar a pandemia do novo coronavírus no estado.

O Coordenador-executivo do Centro de Contingência da Covid-19 em São Paulo, João Gabbardo criticou o clima de normalidade observado nos últimos dias.

“Não devemos considerar como significado definitivo esse aumento. Serve como precaução para que reforcemos orientação de distanciamento social. Ainda não dominamos esse vírus e não temos controle sobre a pandemia", explicou.

Reportagem da RBA mostra que o estado de São Paulo registrou média móvel de mais de mil internações decorrentes da Covid-19 neste domingo (15). Na última quarta-feira (11), foram 1.145, o maior registro desde 10 de outubro. De acordo com a matéria, 13 das 17 regiões paulistas registraram aumento de internações.

No Hospital Albert Einstein, as internações deram um novo salto nesta semana, com um aumento de 66% em relação ao número de leitos ocupados entre setembro e o começo deste mês, segundo o UOL.

O boletim fechado na segunda (16) mostra que há 83 leitos ocupados por pacientes com diagnóstico confirmado para a Covid-19.

Da última semana de setembro ao dia 12 de novembro, a média de internações oscilou entre 50 e 55 pacientes infectados pela Covid-19.

Dados do Brasil

O balanço do Ministério da Saúde, divulgado na noite desta segunda-feira (16), indicava 216 novas mortes registradas entre domingo (15) e segunda-feira (16).

No mesmo período, foram confirmados 13.371 novos diagnósticos positivos. Lembrando que, normalmente, os dados dos finais de semana são menores por causa da escala de plantão dos laboratórios.

A análise dos dados do Ministério mostra que 16 estados mais o Distrito Federal apresentaram alta na média móvel de mortes: PR, RS, SC, ES, MG, SP, DF, GO, MS, MT, AC, AP, RO, RR, TO, PE e RN.

Outros 6 estados estavam estáveis, ou seja, o número de mortes não caiu nem subiu significativamente: RJ, PA, BA, CE, MA e PB.

E em 4 estados estavam em queda: AM, AL, PI e SE.