• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Nota da CNTTL sobre paralisação de caminhoneiros

Em nota, entidade diz que não apoia ação antidemocrática orquestrada por pseuda-lideranças de caminhoneiros nas estradas do país

Publicado: 09 Setembro, 2021 - 13h18 | Última modificação: 09 Setembro, 2021 - 13h20

Escrito por: Viviane Barbosa, da CNTTL

notice

A CNTTL (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes e Logística) reforça que não apoia nenhuma manifestação antidemocrática orquestrada por pseuda-lideranças de caminhoneiros que estão bloqueando sem apoio do transportador autônomo de carga alguns pontos de estradas nesta quinta-feira (8).

Para o diretor da Confederação, o caminhoneiro autônomo,Carlos Alberto Litti Dahmer, presidente do Sinditac (Sindicato dos Transportadores Autônomos de Carga) de Ijuí-RS, essas ações lamentavelmente estão ligadas aos empresários do agronegócio.

Litti ressalta que a “CNTTL não compactua com nenhuma manifestação antidemocrática, que tente macular a democracia".

No último dia 24 de agosto, a CNTTL protocolou aos presidentes do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) cartas em apoio à defesa do Estado democrático de Direito.

Pauta dos caminhoneiros

O diretor da CNTTL explica que a pauta dos caminhoneiros autônomos e celetistas é outra.

“Temos lutado, desde 2018 quando realizamos a maior greve da história do Brasil, pela seguinte agenda de lutas: a constitucionalidade do Piso Mínimo de Frete; o retorno da Aposentadoria Especial aos 25 anos de serviço e o direito ao voto em trânsito, ou seja, que os caminhoneiros possam  votar para cargos eletivos fora do seu domicilio”, finaliza Litti.