• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Trabalhadores pressionam deputados em defesa do empregos

CPI da JBS recebeu sindicalistas e prometeu buscar uma saída para a crise

Publicado: 19 Outubro, 2017 - 10h41 | Última modificação: 19 Outubro, 2017 - 10h52

Escrito por: Sérgio Souza Júnior CUT-MS com informações AL-MS

CUT-MS
notice

Com objetivo de defender seus empregos, milhares de trabalhadores lotaram a Assembleia Legislativa na manhã desta terça-feira (17), para pressionar os Deputados Estaduais e pedir seu apoio, na busca por uma solução para o impasse com a JBS, empresa que já teve 700 milhões de reais bloqueados pela justiça, a pedido Comissão Permanente de Inquérito (CPI) das Irregularidades Fiscais e Tributárias do Estado de Mato Grosso do Sul, da AL-MS.

Vilson Gimenez Gregório, Presidente da FTIAA-MS (Federação dos Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação de MS), José Modelski Junior, Secretário Geral da CONTAC-CUT e Célio Elias, Secretário de Saúde da CONTAC-CUT, fizeram intervenções no plenário da Assembleia Legislativa, defendendo os trabalhadores e os seus empregos.

Segundo informações da organização do protesto, mais de duas mil pessoas estiveram mobilizadas dos municípios de Nova Andradina, Sidrolândia, Naviraí, Aquidauana, Dourados, Paranaíba e Campo Grande, além de representantes da CONTAC-CUT (Confederação Brasileira Democrática dos Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação da CUT) de Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Vilson Gregório fala na AL MS

Para Vilson Gregório, “o movimento de hoje está de parabéns, estão de parabéns todos os trabalhadores que vieram de suas cidades para fortalecer este ato, nós mostramos aqui que não viemos atrás de brigas políticas, queremos a garantia dos nossos empregos, vieram até representantes de outros estados que tem JBS. Esperamos que agora isso surta efeito”.

Gregório reforçou o caráter da manifestação, “não estamos aqui para defender a empresa, ela que pague pelas suas dívidas, mas que se garanta nossos empregos. E se fechar as unidades? Quem sairia ganhando com isso? Ninguém! Queremos que a CPI busque outros caminhos, por exemplo da negociação com a empresa, está nas mãos dos deputados contribuir para uma solução, nós queremos trabalhar, queremos garantir o emprego de milhares de famílias”, pontuou o dirigente sindical.

Reunião com CPI da JBS

Por pedido do Deputado estadual Pedro Kemp (PT), no final da sessão da Assembleia Legislativa, uma comissão formada por dirigentes sindicais e da Comissão Permanente de Inquérito (CPI) das Irregularidades Fiscais e Tributárias do Estado de Mato Grosso do Sul, da Assembleia Legislativa, se reuniram na sala da presidência da casa.

Por pedido da CPI, a justiça estadual autorizou o bloqueio de mais de R$730 milhões de reais da empresa JBS, fato este que levou os trabalhadores dos frigoríficos a questionar se a empresa não poderia realizar demissões em massa, alegando problema de caixa. Esta preocupação se alastrou em diversas plantas da empresa no estado, rumores alegavam que o salário de dezembro já estaria comprometido.  

Segundo o Deputado Paulo Corrêa (PR) “é em cima desta movimentação judicial, já feita pela CPI, que vamos negociar”. Corrêa concordou com o encaminhamento dado na reunião, de buscar uma Audiência de Conciliação, com um representante legal da JBS para buscar um Acordo de Leniência, mediado pelo Tribunal de Justiça de MS e o Ministério Público Federal.

Na oportunidade, o Presidente da CUT-MS, Genilson Duarte afirmou na reunião que o protesto de hoje (17), foi um ato legítimo dos trabalhadores, “a empresa não está por traz desta ação como se cogitou hoje, nós da CUT construímos diversas greves no país inteiro, nas nossas ações dialogamos com os trabalhadores para produzir as mobilizações”.

Em sua fala, José Modelski Junior, Secretário Geral da CONTAC-CUT disse, “o que está acontecendo aqui, pode ser uma referência para todo o país”, citando que 25% da empresa pertence ao BNDES e que sozinha, ela emprega mais de 130 mil pessoas em todo o país.       

Na mesa de negociação com os membros da CPI, Vilson Gregório reiterou as preocupações que mobilizaram milhares de trabalhadores na defesa dos seus empregos, “nós já vimos frigoríficos dormirem e não amanhecerem em nosso estado”.

Sérgio Miller, Presidente do STIANA (Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Alimentação de Nova Andradina) citou o caso de um Frigorífico de sua cidade “o Independência fechou as portas por mais de 6 anos, enquanto isso as pessoas ficaram sem os empregos, quando fecha uma empresa, não é tão fácil serem reabertas como foi falado hoje”.

Durante os debates, foi citado por alguns deputados estaduais, que haveria também a possibilidade de desbloquear recursos em troca de outras garantias, entre elas, a manutenção dos empregos dos trabalhadores.

Encaminhamento

Foi deliberado que a CPI vai buscar criar uma comissão, no prazo de uma semana, com o Tribunal de Justiça do MS, o Governo estadual, Assembleia Legislativa, Ministério Público Federal, Ministério Público do Trabalho, Representantes dos Trabalhadores, Representantes da JBS, entre outros, cujo objetivo seria buscar um acordo jurídico, que tenha como base a garantia da empresa pagar o estado, manter os empregos e pagar seus fornecedores.

Os deputados que integram a CPI são: Paulo Corrêa (PR), Presidente da Comissão, Eduardo Rocha (PMDB), Relator, Paulo Siufi (PMDB), Flávio Kayatt (PSDB) e Pedro Kemp (PT).

carregando
carregando