MENU

Morre a socióloga e ex-presidenta do PT de Salvador, Antônia Garcia

Antônia era considerada quadro histórico do PT na Bahia e suas pesquisas se debruçavam sobre a questão racial no planejamento de espaços urbanos

Publicado: 06 Dezembro, 2021 - 18h24

Escrito por: Redação CUT

reprodução
notice

O país perdeu uma de suas grandes expressões de luta por uma sociedade mais justa na manhã deste domingo (5). A socióloga e ex-secretária municipal de Reparação de Salvador, Antônia Garcia, quadro histórico do Partido dos Trabalhadores (PT) na Bahia faleceu na capital baiana.

Antônia foi a primeira presidenta da legenda na capital baiana e também exerceu o cargo de secretária de Mulheres. No campo acadêmico, Antônia era conhecida por pesquisas sobre desigualdades raciais e de gênero e a relação com o espaço urbano, além de se debruçar em temas como os movimentos sociais e o planejamento de cidades.

O diretório estadual do PT, juntamente com o diretório regional e a Secretaria de Mulheres, lançou uma nota lamentando a morte da militante. “Teve uma trajetória marcante de luta pela democracia e pela defesa dos direitos da população, a qual dedicou a sua vida’, classificou o partido no comunicado.

Em nota, o deputado federal pelo PT da Bahia, licenciado e atualmente titular da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR).Josias Gomes, também prestou homenagem a Antônia e solidariedade aos familiares. Veja abaixo: 

Muito firme na defesa de suas ideias, sempre em defesa de temas que na época de fundação do PT eram ainda pouco discutidos e de apelos sociais para a maioria da sociedade, ainda incipiente, mas que através da fala firme e resoluta de companheiras com Antônia Garcia, o PT fez história na defesa do que eram considerados temas de “ minorias”.

Que minoria que nada, essas valentes guerreiras impuseram sua agenda, ela própria foi dirigente da CUT e do PT.

Antonia Garcia foi uma guerreira valente, mas nunca perdeu a ternura, sempre manteve-se respeitosa com todos, mesmos os que divergiam de suas ideias, seja elas quais fossem. Atuava na defesa de suas posições, mas nunca foi de agredir ninguém.

Foi a primeira presidenta do PT de Salvador. Com o seu jeito de ser e liderança, Antônia era uma militante que inspirava as mulheres, lutou muito pelo espaço da mulher na política, não tenho dúvida que seu legado fincou raizes profunda na militância do PT.

Deixo aqui um poema do pernambucano Manoel Bandeira, apropriado para o momento:

“Quando a Indesejada das gentes chegar

(Não sei se dura ou caroável),

talvez eu tenha medo.

Talvez sorria, ou diga:

— Alô, iniludível!

O meu dia foi bom, pode a noite descer.

(A noite com os seus sortilégios.)

Encontrará lavrado o campo, a casa limpa,

A mesa posta,

Com cada coisa em seu lugar.

Manuel Bandeira”.

Antônia Garcia, sua parte na luta pelos direitos será sempre lembrado como um grande exemplo a ser seguido!

 

*Com informações de O Trombone, PT Bahia e Bahia Notícias