• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Militância celebra decisão do STF e pede soltura imediata do ex-presidente Lula

Logo após o STF derrubar a prisão em segunda instância, as ruas e as redes celebraram com mensagens de carinho e apoio a Lula, que pode ser liberado da prisão política

Publicado: 08 Novembro, 2019 - 11h46 | Última modificação: 08 Novembro, 2019 - 12h16

Escrito por: Walber Pinto

RICARDO STUCKERT
notice

Assim que saiu a decisão final do Supremo Tribunal Federal (STF) derrubando a prisão em segunda instância, na noite desta quinta-feira (7), a militância petista e milhares de pessoas que defendem a democracia foram às ruas e às redes comemorar e pedir a soltura imediata do ex-presidente Lula.

Em Curitiba, onde há 580 dias o povo não arreda pé das proximidades da sede da Polícia Federal, onde Lula é mantido preso político, o resultado foi recebido com choro por militantes  acampados na Vigília Lula Livre. A presidenta do PT, Gleisi Hoffman, foi para a vigília celebrar o resultado com a militância.

“Nossa luta continua. Nós temos que comemorar esse momento porque é importante na demarcação da luta pela democracia, na luta pelos princípios constitucionais”, afirmou.

“Mas a nossa luta vai continuar porque o que nós queremos é anulação da sentença do Moro. Esse juiz que tem suspeição que fez um processo viciado e política do ex-presidente Lula”, afirmou a presidenta se referindo a Sérgio Moro, que virou ministro da Justiça do governo de Jair Bolsonaro, depois de condenar Lula no caso do tríplex do Guarujá sem crime e sem provas.

Fernando Haddad, ex-prefeito de São Paulo, falou por meio das redes sociais que a medida abre caminho para a liberdade imediata do ex-presidente e disse as razões: “O STF já declarou que: 1) a condução coercitiva de Lula foi ilegal; 2) o vazamento das conversas com a Dilma foi ilegal; 3) o impedimento de que Lula tomasse posse como ministro foi manipulado. Falta declarar: 4) a suspeição de Moro por parcialidade".

Com fogos de artifício e batuques, dezenas de militantes e simpatizantes do PT se reuniram em frente ao STF, em Brasília. Com a achegada da multidão, a festa foi tomando corpo e teve a presença até de vendedores de cerveja, de espetinhos e tendas da CUT.

Nas ruas de Recife, assim que saiu a decisão derrubando a prisão em segunda instância, dezenas de pessoas que estavam numa rua da capital pernambucana começaram a bater palmas e cantar o simbólico: “olê, olê,olê, olá, Lula lá, Lula lá”.

Para Guilherme Boulos, coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), o STF reestabeleceu a Constituição, que é a presunção de inocência, ou seja, a prisão só pode ocorrer depois do trânsito em julgado.

“Finalmente a Constituição Federal prevaleceu. Prevaleceu aquilo que diz a Constituição que é a presunção da inocência até que se tenha trânsito em julgado, todos os brasileiros têm o direito à ampla defesa”, afirmou.

No centro de São Paulo, no Edifício Copan, um vídeo com gritos de Lula Livre circula nas redes sociais celebrando a decisão histórica do Supremo. Já em Salvador, um vídeo que circula nas redes sociais mostra as pessoas comemorando na Praia da Barra, Rio Vermelho, Barris e Bairro da Pituba.

Rui Costa (PT), governador da Bahia, se manifestou pela manhã no pelo Ttwitter e disse estar confiante que a justiça será feita logo ao ex-presidente. “Está cada vez mais livre. Em respeito à Constituição, por 6 votos a 5, o STF derrubou ontem à noite a prisão após condenação em 2ª instância”.

Apoio Hermano

O apoio a Lula Livre também veio da Argentina. O presidente eleito Alberto Fernández usou as redes sociais para comemorar.

“O Supremo Tribunal Federal do Brasil decidiu que as sentenças de prisão só são executórias depois de trânsito em julgado. É o mesmo que reivindicamos na Argentina há anos. Valeu a pena a demanda de tantos. Lula Livre amanhã! ”, declarou Fernández.