• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Manifestantes ocupam as ruas do centro do Rio pelo  #ForaBolsonaro

No terceiro ato em menos de dois meses, antecipado por causa das denúncias de corrupção na compra de vacinas, o povo ocupou a Avenida Presidente Vargas, uma das principais vias do centro da capital fluminense

Publicado: 03 Julho, 2021 - 16h40 | Última modificação: 03 Julho, 2021 - 16h57

Escrito por: Redação CUT

Stefano Figalo/Brasil de Fato
notice

As ruas do centro do Rio de Janeiro foram ocupada na manhã deste sábado (3) para protestar contra o governo de Jair Bolsonaro (ex-PSL), cobrar pelas mortes de mais de 522 mil brasileiros, a maioria vítima do descaso do governo federal com o enfrentamento à pandemia do novo coronavírus e pedir o impeachment de Bolsonaro, como bem resumiu o cartaz dessa garotinha lamentando a morte da avó, com o pai reforçando na camiseta a importãncia do Sistema Único de Saúde (SUS) para salvar vidas.

ReproduçãoReproduçãoNo terceiro ato em menos de dois meses, antecipado por causa das denúncias de corrupção na compra da vacina indiana Covaxin, com superfaturamento de 1000% e de cobrança de proprina de US$ 1 na compra da AstraZenica, a população ocupou a Avenida Presidente Vargas, uma das principais vias do centro da capital fluminense.

Muitos dos cartazes levados ao ato e dos gritos de ordem ouvidos ao longo dos quase quatro quilômetros de trajeto faziam menção às denúncias sobre superfaturamento na compra de vacinas e ao crime de prevaricação que teria sido cometido por Bolsonaro ao deixar de determinar uma investigação a partir de um alerta de fraude feito em março.

CUT-RJCUT-RJ

 

Os cartazes da denúncia de propina também foram apra as redes sociais.

Em um dos carros de som, a cantora Teresa Cristina cantou o samba "História pra ninar gente grande", que a escola de samba Mangueira apresentou no Carnaval de 2019 e que faz uma homenagem a personagens da História do Brasil, como a vereadora Marielle Franco (Psol), executada em março de 2018. A sambista foi acompanhada pelos manifestantes na letra da música e no "Fora Bolsonaro".

"É uma pena que a geração de 1968, que já viu tanta coisa, esteja novamente passando por tudo isso de novo. E esse presidente sujo, que vem com um papinho de 'Me chama de corrupto'... Você é corrupto, sim! É muito corrupto! Fora Bolsonaro!", gritou Teresa Cristina.

Os sindicatos CUTistas marcaram presença em defesa da democracia, vacina no braço, comida no prato, pelo auxílio emergencial de R$ 600 até o fim da pandemia, contra a privatização e contra a reforma Administrativa.

“A Av. Pres. Vargas era um mar de indignação. Não dá mais. Quem continua ao lado de Bolsonaro é cúmplice da matança de nosso povo. A manifestação de hoje foi imensa com o Rio de Janeiro mostrando sua força. E podem ter certeza, a pressão vai aumentar. Dia 24 voltaremos às ruas e será ainda maior”, afirma Sandro Cezar, presidente da CUT-Rio

Rosângela Fernandes/CUT-RJRosângela Fernandes/CUT-RJ

Líder sindical e trabalhador da Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (Cedae), Ary Girota fez uma fala no carro de som contra a reforma Administrativa do governo federal e contra a aliança do governador do Rio, Cláudio Castro (PSC), e do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, com Bolsonaro para levar adiante as privatizações no país, como ocorreu com a Cedae.

"É fundamental defender a vida, a democracia. O inimigo do povo brasileiro chama-se Jair Bolsonaro e toda camarilha que o acompanha. Luiz Fux deveria se declarar impedido de decidir qualquer coisa relacionada ao Rio de Janeiro. Estava ontem de mãos dadas com Cláudio Castro. Como um ministro como esse autoriza a privatização da água, do acesso à água? Vamos à luta contra a reforma administrativa e toda sorte de opressão", reivindicou Girota.

Com informações do BdF RJ e da Assessoria da CUT-RJ.