• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Lula não está sozinho: povo acompanha o ex-presidente em depoimento à Justiça

Militantes, trabalhadores e lideranças políticas estão nas proximidades da Justiça Federal, em Curitiba, para prestar solidariedade e apoiar o ex-presidente que presta depoimento neste momento

Publicado: 14 Novembro, 2018 - 16h12 | Última modificação: 14 Novembro, 2018 - 16h18

Escrito por: Tatiana Melim

Gibran Mendes/CUT-PR
notice

Lideranças partidárias, sindicais e sociais, além de militantes e trabalhadores e trabalhadoras, estão, neste momento, em frente ao prédio da Justiça Federal em Curitiba, onde o ex-presidente Lula presta depoimento à juíza Gabriela Hardt sobre o processo do sítio de Atibaia, que não pertence a ele nem ninguém de sua família. Gabriela é a substituta temporária do juiz Sergio Moro, indicado por Jair Bolsonaro (PSL) como ministro da Justiça.

A presidenta nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann, que acompanha de perto todos os processos envolvendo o ex-presidente, foi contundente ao afirmar que o depoimento de hoje é apenas mais uma cena da peça teatral criada por Moro para perseguir Lula.

“Esse julgamento não se sustenta, só se sustenta por razões políticas. O correto seria Moro renunciar ao cargo, de acordo com a determinação legal, e o processo ser redistribuído tecnicamente. Então o que podemos esperar desse processo é uma condenação sem provas e sem a observação do devido processo legal”, criticou Gleisi, se referindo ao fato de o juiz ter aceitado o cargo político e não pedir exoneração, como determina a Lei da Magistratura.

Segundo a senadora, o juiz Sergio Moro, ao aceitar tão rapidamente o convite para assumir um cargo político, como é o caso do Ministério da Justiça, provou que tem lado na política. E o que é mais grave, diz Gleisi, é que Moro aceitou o cargo e não pediu exoneração, apenas saiu de férias.

“E tudo isso por quê? Para que a juíza substituta, que é amiga dele, pudesse continuar o julgamento e seguir, portanto, o seu roteiro, que é condenar o presidente Lula sem provas”, denunciou.

“Qual foi o crime que Lula cometeu?”, seguiu questionando a presidenta do PT, ao responder logo em seguida: “não apresentaram uma prova daquilo que o estão acusando”.

Lula não é dono do sítio, Lula não pediu nenhuma reforma e não sabia de nenhum pedido de reforma
- Gleisi Hoffmann

E mais, completou Gleisi, “as testemunhas afirmaram isso e disseram que as reformas nunca tiveram a ver com nenhum dinheiro de Petrobras”.

Para o presidente da CUT, Vagner Freitas, que está em Curitiba acompanhando o depoimento, esse processo é mais uma armação contra Lula. “Como podem processar um homem que não cometeu nenhum ato ilícito?”, questionou.

O dirigente relembrou os casos de perseguição contra o maior líder popular do País para explicar que tudo foi arquitetado de forma a tirar Lula, que liderava todas as pesquisas de intenções de votos, do processo eleitoral.

“O juiz Sergio Moro foi o juiz que condenou Lula sem provas, mandou prendê-lo e impediu o ex-presidente de ser candidato para o outro [Bolsonaro] ganhar a eleição”, completou.

Gibran MendesGibran Mendes

Lula está sereno e preparado

O ex-candidato à presidência da República, Fernando Haddad (PT), esteve com o Lula nesta manhã e disse que o ex-presidente está muito sereno, preparado para o depoimento e muito grato pela solidariedade do povo que não o abandona e segue firme com ele do lado de fora do Tribunal.

“Tenho a certeza de que, se os argumentos dele forem ouvidos, a justiça vai ser feita e ele vai ser absolvido”, disse.

Apesar de ser o advogado do ex-presidente, Haddad não é o responsável especificamente por esse processo, por isso não acompanhará a audiência.

carregando
carregando