MENU

Lula em Minas: ‘Bolsonaro tem medo de ser preso se perder as eleições’

Em ato em Belo Horizonte, ex-presidente reafirmou importância da aliança progressista pela reconstrução do país e criticou ataques de Bolsonaro à credibilidade das eleições

Publicado: 10 Maio, 2022 - 09h22 | Última modificação: 10 Maio, 2022 - 09h29

Escrito por: RBA

Ricardo Stuckert
notice

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) abriu sua agenda de viagens pelo país nesta segunda-feira (9) por Minas Gerais. O primeiro ato da jornada Vamos Juntos Pelo Brasil, iniciada após a oficialização da sua pré-candidatura à Presidência da República, em São Paulo foi realizado no Expominas, na capital, Belo Horizonte. O ex-governador Geraldo Alckmin segue em recuperação da covid e participou virtualmente.

O ex-candidato dedicou a maior parte de seu discurso à atual crise econômica. Mas novamente não poupou Jair Bolsonaro de críticas diretas pelos prejuízos causados ao povo brasileiro. Também destacou os questionamentos que o presidente insiste em fazer sobre o sistema eleitoral, em sucessivos sinais de que prepara um golpe contra as instituições democráticas.

Lula acusou Bolsonaro de incitar a desconfiança sobre o sistema eleitoral por querer manter-se presidente para manter seu direito a foro privilegiado e evitar problemas que poderá ter na Justiça caso não se mantenha no poder. “A gente tem que falar: Bolsonaro, seus dias estão contados. Não adianta desconfiar das urnas. Você tem medo de perder as eleições e ser preso depois.”

O pré-candidato voltou a chamar Bolsonaro de “fascista” e que representa “a antidemocracia, o antiamor, a antipaz, a antieducação e o antidesenvolvimento”. Reafirmou ser preciso devolver o fascismo para “o esgoto da história”, e a necessidade de eleger um Congresso que represente os segmentos populares do país. “Não será uma eleição fácil. Mas nós, que pensamos em educação, emprego, aumento salarial e ciência. E que queremos aumentar a qualidade de vida, almoçar, jantar e tomar café todo dia, haveremos de ganhar as eleições”, afirmou.

Para isso, disse Lula, será preciso ir para as ruas, bairros e para as fábricas para derrotar as mentiras de Bolsonaro, destacando a importância da militância para vencer as eleições. “Nosso adversário mente sete vezes por dia, é o rei das fake news. Conta mentira todo dia contra o povo”, acrescentou.

Diversidades

A participação de Lula no ato na capital mineira foi precedida pela da presidenta nacional do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann (PR). Por sua vez, ela destacou a unidade dos sete partidos que compõe a aliança em torno da candidatura Inácio Lula. Gleisi afirmou que a aliança dos partidos “faz parte de um movimento (…) que está ao lado do movimento sindical, popular e social (…) A diversidade que tem esse ato na unidade política que nos sustenta para derrotar o fascismo e a extrema direita”, afirmou a parlamentar .

Ao criticar Jair Bolsonaro, Gleisi, destacou o aprofundamento da pobreza sob o atual governo. “Não tem compromisso, não dá resposta sobre a fome, o desemprego. O povo está cansado. Temos muita responsabilidade para retomar o Brasil para as mãos do povo”, completou.

Sobre a formação da frente progressista para derrotar Bolsonaro, Lula reafirmou que o movimento se une também em torno de um projeto de nação. “Quero não ser candidato de uma aliança, mas de um movimento. Das pessoas que ficaram desempregadas, dos 19 milhões passando fome […] dos milhões que estão trabalhando nos aplicativos sem férias, sem seguridade social, sem descanso remunerado. É possível aumentar o salário mínimo, cuidar da pequena e média agricultura, colocar humildes na universidade, colocar crianças em escolas técnicas, mandar filhos dos trabalhadores estudar no exterior”, disse.

Lula em Minas

Pesquisa do instituto Datatempo sobre as eleições presidenciais entre eleitores mineiros, divulgada nesta segunda-feira (9), mostra que o ex-presidente lidera com 44,4% de intenções de voto, enquanto Jair Bolsonaro tem 29,95%. Na sequência vêm Ciro Gomes (4,55%), André Janones (3,1%) e João Doria (2,75%).

Considerando apenas os votos válidos, os eleitores de Minas Gerais elegeriam hoje Lula no primeiro turno, com 51,4%, enquanto Bolsonaro teria 34,7%.

Em seu roteiro pelo estado, o pré-candidato ainda passa por Contagem e Juiz de Fora.

Com Fórum, CartaCapital e Brasil247 – Edição RBA: Fábio M. Michel