• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Lula diz a Vagner que Haddad será sua voz e suas pernas até ele sair da prisão

Presidente da CUT visitou o ex-presidente nesta quinta (9), junto com Sharan Burrow. “Lula é mais candidato do que nunca e tem certeza que será eleito pelo povo ao terceiro mandado", disse Vagner na saída

Publicado: 09 Agosto, 2018 - 20h57

Escrito por: Vanilda Oliveira, especial para o Portal CUT

Gibran Mendes, CUT-PR
notice

“Haddad é meu porta-voz, é quem fala por mim até eu sair da prisão. Haddad foi escolhido meu vice pelo PT para me representar na campanha eleitoral enquanto eu não for libertado. Ele será minhas pernas, para andar pelo País, e minha voz, para levar ao povo brasileiro a minha palavra, aquilo que eu não posso falar agora. Por isso, não esmoreçam, porque eu sou candidato, irei até o fim com a minha candidatura e serei eleito". Esse foi o principal recado que o ex-presidente Lula pediu que o presidente nacional da CUT, Vagner Freitas, transmitisse ao povo brasileiro. 

“Lula é mais candidato do que nunca”, disse Vagner na porta da Polícia Federal, em Curitiba, onde visitou o ex-presidente na tarde desta quinta-feira (9).

Segundo Vagner, ele está animado, saudável e fortalecido pela Vigília, que não arreda pé da frente do prédio da Polícia Federal há 134 dias. “Lula me disse ter certeza de que disputará as eleições em outubro e que o povo o elegerá presidente pela terceira vez”, contou. O candidato petista lidera todas as pesquisas de intenção de votos. Segundo a ultima rodada da pesquisa CUT/Vox Populi, Lula venceria no primeiro turno se as eleções fossem hoje. 

Foi a segunda visita do presidente CUT a Lula, desde a prisão, em 7 de abril. Dessa vez, Vagner foi acompanhado de Sharan Burrow, Secretária-Geral da Confederação Sindical Internacional (CSI), maior entidade sindical do mundo, que representa 180 milhões de trabalhadores filiados a mais de 300 sindicatos em 161 países.

“Este homem é um gigante, uma inspiração para o mundo. Foi uma honra poder visitá-lo”, disse Sharan, ao lamentar que Lula “esteja numa [prisão] solitária quando deveria estar com seu povo". A exemplo de Vagner, a líder da CSI destacou que Lula “está determinado a concorrer à Presidência” e “manter sua candidatura”. Ao sair do prédio da PF, Sharan falou à mídia e gritou Lula Livre com seu forte sotaque (é australiana), que conquistou um coro e aplausos: “Se os trabalhadores do mundo pudessem votar, eles votariam no presidente Lula. Ele é um líder para toda a classe trabalhadora no mundo”.

A VIGÍLIA ALIMENTA LULA DE VIDA

"A Vigília alimenta minha vida, me mantém forte", desse jeito Lula descreveu ao presidente da CUT o que sente ao ouvir as saudações que saem da Vigília. Ele fez questão de falar o quanto os homens e mulheres que todos os dias "falam" com ele são importantes, essenciais para fortalecê-lo. Disse que a cada 'bom dia', 'boa tarde', 'boa noite' sente mais vontade de lutar", afirmou Vagner Freitas.

Em sintonia com a fala de Lula, antes mesmo de ouvi-la durante a visita, o presidente nacional da CUT falou aos militantes sobre o papel de resistência e a importância da Vigília. "Mais uma vez quero agradecer à luta que vocês fazem aqui, agradecer às pessoas que se dedicam, deixam suas famílias para estar na Vigília Lula Livre. Cada um de vocês representa os trabalhadores(as) que gostariam de estar aqui. Parabéns e muito obrigada, porque é muitíssimo importante para a CUT e para o Lula".

DIA DO BASTA

Lula quis saber do Dia do Basta e disse a ele que vamos fazer um movimento forte nesta sexta-feira, em todo o País. O ex-presidente, segundo Vagner, também afirmou ser muito importante o apoio popular no dia 15 de agosto, em Brasília, quando a candidatura dele (da chapa do PT) será registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral)

Segundo Vagner Freitas, Lula disse ser “absurdo o fato de Haddad não poder representá-lo no debate dessa noite (9) na Rede Bandeirantes e que o episódio ratifica que “ele é um preso político, que recebe um tratamento diferente de outros candidatos em situação igual. O ex-presidente voltou a desafiar que apresentem uma prova, uma única prova contra ele, e que se essa prova existir e for apresentada, ele deixa de ser candidato”, contou Vagner. “Lula vai brigar até o fim, tenham certeza”.

APOIO INTERNACIONAL

Além de Sharan e Vagner, fazem parte da delegação internacional que está em Curitiba nesta quinta-feira o secretário de Relações Internacionais da CUT, Antonio Lisboa, o ex-presidente da KCTU (central sindical sul coreana), Han Sang-gyun, e a secretária de Relações Internacionais da KCTU (central sindical sul coreana), Mikyung Ryu. Os dirigentes afirmaram o movimento sindical internacional não reconhece o governo do ilegítimo Michel Temer e o que estão fazendo com Lula “é criminoso”.

Eles foram recebidos pela presidente da CUT-PR, Regina Cruz, uma das organizadoras da Vigília Lula Livre. 

carregando