• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Indústria de transformação do ABC produz menos e fecha  94 mil postos de trabalho

Estudo do Dieese mostra que, em 2010, 10% de toda a riqueza gerada pela indústria no Estado de São Paulo tinham origem no ABC. Em 2010, o percentual caiu para apenas 7%

Publicado: 20 Outubro, 2020 - 10h22 | Última modificação: 21 Outubro, 2020 - 09h36

Escrito por: Redação CUT

Adonis Guerra/ SMABC
notice

A Região do ABC Paulista perdeu 15% em Valor Adicionado (VA) entre 2000 e 2017, de acordo com os últimos dados oficiais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para os municípios. Isso significa que o setor industrial caiu 41% nesse período, ou seja, produziu muito menos do que no início da década.

Menos produção significa menos empregos. Entre janeiro de 2011 e agosto de 2020, o setor produtivo fechou 94 mil postos de trabalho na região do ABC, principalmente nos setores de material de transporte, metalurgia, borracha e química. Na contramão, entre 2002 e 2011 a região havia aberto 72 mil novos empregos industriais.

Os dados são de estudo sobre a indústria local entre 2000 e 2020, a partir do Valor Adicionado (VA) gerado e do comportamento do emprego com carteira, e foi feito pela subseção do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC (SMABC).

O que é VA?

Valor Adicionado ou valor econômico ou valor agregado é uma noção que permite medir o valor criado por um agente econômico. É o valor adicional que adquirem os bens e serviços ao serem transformados durante o processo produtivo.

VA do ABC caiu de R$ 50 bi para R$ 30 bi em sete anos

De acordo com o estudo do Dieese publicado no site do SMABC, entre 2010 e 2017, o VA industrial do ABC registrou queda de R$ 50 bilhões para R$ 30 bilhões. Em 2010, 10% de toda a riqueza gerada pela indústria no Estado de São Paulo tinham origem no ABC. Em 2010, o percentual caiu para apenas 7%.

A cidade do ABC mais afetada entre 2000 e 2017 foi São Bernardo do Campo, com queda percentual do VA industrial de 44% para 25%. Em seguida vem Diadema, que teve queda de 43% para 29%; São Caetano do Sul, de 38% para 27%; Rio Grande da Serra, de 39% para 30% e por fim Ribeirão Pires, de 34% para 24%. As menores reduções do VA industrial foram em Santo André, de 28% para 22%, e Mauá, de 46% para 43%.

Confira aqui a íntegra do artigo e aqui mais dados do estudo.