• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Globo é quem mais recebeu verba de publicidade do PT

Emissora carioca acumulou R$ 6,2 bilhões em 12 anos de Lula e Dilma

Publicado: 29 Junho, 2015 - 13h31 | Última modificação: 29 Junho, 2015 - 19h09

Escrito por: CUT

Foto: Mídia Ninja
notice

Em 12 anos de governo do PT, oito com Luis Inácio Lula da Silva e mais quatro com Dilma Rousseff, a Rede Globo acumulou R$ 6,2 bilhões em verbas publicitárias enviadas apenas pelo Planalto.

Muito distante da emissora carioca, está a Record, com R$ 2 bilhões, seguida de perto pelo SBT (R$ 1,6 bi) e Band (R$1 bi). Os dados foram divulgados pelo UOL e abrangem somente as verbas publicitárias gastas com emissoras de TV,

Os números da Globo poderiam ser ainda maior se o valor das afiliadas fossem incorporados ao valor total do conglomerado do grupo. A TV Bahia, por exemplo, dos herdeiros de Antônio Carlos Magalhães, angariou R$ 50,9 milhões nos doze anos de governo petista.

Para a secretária nacional de Comunicação da CUT, Rosane Bertotti, os valores divulgados expõem a necessidade de regulação econômica da mídia para o “desenvolvimento igualitário das mídias”. “Esses dados demonstram o que já sabemos, que além de um monopólio do conteúdo, temos um monopólio econômico, que sustenta o primeiro”, afirmou.

Apesar do montante bilionário, a Globo pode manter ativa uma dívida com o fisco brasileiro. A família Marinho se recusa a confirmar o pagamento de divida milionária com a Receita Federal. A emissora carioca alega que pagou o valor de R$ 615 milhões, porém se recusa a apresentar Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf), documento que comprova o pagamento.

A dívida seria correspondente a sonegação dos impostos referentes a compra dos direitos de transmissão da Copa do Mundo de 2002, realizada no Japão e na Coréia do Sul. O processo contra a emissora se tornou público em junho de 2014, através do site “O Cafézinho”.

A Globo teria utilizado dez empresas criadas em paraísos fiscais para esconder a falcatrua e se livrar do fisco brasileiro. O crime se configura em simulação e evasão fiscal. Porém, não é difícil de imaginar que para a maior detentora de verbas publicitárias do País não seja missão complexa esconder essa manobra.