• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Filme Abraço concorre no Festival CineSesc Melhores Filmes

O filme retrata o ano de 2008, quando os professores sergipanos travam uma luta jurídica com o governo do estado para evitar a perda de direitos já conquistados

Publicado: 23 Fevereiro, 2021 - 11h44

Escrito por: Sintese

Sintese
notice

O filme “Abraço”, que tem estreia internacional marcada para 08 de março, Dia Internacional da Mulher, está concorrendo em várias categorias, inclusive Melhor Filme, no 47º Festival CineSesc Melhores Filmes.

Além de concorrer ao título de melhor filme do festival, Abraço também disputa as categorias de Melhor Atriz (Giuliana Maria), Melhor Ator (Flávio Bauraqui), Melhor Fotografia (Jorge Monclair) e Melhor Roteiro (Deivison Fiuza).

 “Minha felicidade e alegria não é como autor ou diretor, mas sim como militante de causas sociais da Educação, pois com o filme ocupando estes espaços nós ampliamos a nossa pauta para além do sindicato”, afirma Deivison Fiuza.

Para votar basta acessar o site.

47º Festival Sesc Melhores Filmes

Criado em 1974, o Festival Sesc Melhores Filmes oferece ao público a oportunidade de ver ou rever tudo o que passou de mais significativo pelas telas da cidade de São Paulo no ano anterior ao evento.

Os filmes são escolhidos democraticamente por meio de votação do público e do júri especializado, composto por críticos e jornalistas de todo o Brasil. Participam da votação desta edição 176 filmes, sendo 116 estrangeiros e 60 nacionais.

Ainda não assistiu Abraço?!

O filme retrata o ano de 2008, quando os professores sergipanos travam uma luta jurídica com o governo do estado para evitar a perda de direitos já conquistados. A mobilização contou com mais de 30 mil professores de todas as partes do estado que deixam suas escolas e partem em uma longa jornada para a capital, Aracaju. Nesse contexto, conhecemos a professora Ana Rosa, que vive o desafio de ser mãe, mulher e dirigente sindical.

Baseado em fatos reais, “Abraço” contou com a participação de mais de 500 figurantes reais e outros 80 atores locais, de Sergipe, desconhecidos do grande público.

Apesar da crítica social contida na obra, trata-se de um filme de ficção que aborda o drama pessoal de uma professora dividida entre a defesa de seus direitos profissionais e a rotina doméstica em sua casa.

O filme está disponível para assistir em diversas plataformas virtuais. É só escolher a da sua preferência.