• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Estudantes da UFRGS protestam contra desligamento de 190 cotistas em Porto Alegre

DCE questiona a forma como os desligamentos são encaminhados nas esferas administrativas e pontua que, ao longo dos anos, muitas decisões semelhantes foram revertidas na Justiça

Publicado: 08 Junho, 2021 - 10h12 | Última modificação: 08 Junho, 2021 - 10h18

Escrito por: Sul21

Pedro Feltrin/Sul21
notice

Alunos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e membros do Diretório Central de Estudantes (DCE) da instituição realizaram, na manhã desta segunda-feira (7), uma manifestação contra o desligamento de cerca de 190 alunos que estavam matriculados provisoriamente.

O desligamento dos estudantes ocorre porque eles não teriam cumprido as regras ou não apresentaram documentação suficiente para justificar o ingresso no sistema de cotas, mas o DCE questiona a forma como a questão é encaminhada nas esferas administrativas e pontua que, ao longo dos anos, muitas decisões semelhantes foram revertidas na Justiça.

Ao final do ato os estudantes entregaram uma carta de reivindicações, elaborada pelo Grupo de Trabalho de Matrículas do DCE, a representantes da Reitoria da universidade.

A manifestação pede que o edital de ingresso na universidade tenha o processo de entrega de documentos alterado. O DCE reivindica ainda que a UFRGS defina prazos, estipulados em edital, para análise da documentação dos candidatos e de recurso posterior, sendo 30 dias para análise da documentação inicial e mais 30 dias para análise de documento do recurso, prazo que poderia ser prorrogado uma vez por mais quinze dias.

De acordo com o GT de Matrícula, estes prazos propostos iriam equiparar o sistema de ingresso na UFRGS aos de outras universidades no país. De acordo com a manifestação, “a UFRGS é uma das poucas universidades do país que não estabelece um prazo para análise de documentação, deixando estudantes esperando às vezes por anos para efetivação de sua matrícula”. Além disso, o estudante que está a partir do segundo semestre da universidade, quando desligado, não disponibiliza sua vaga para outro candidato, sendo um desperdício de verba pública”.

Durante a manifestação, realizada diante do prédio da Reitoria, os estudantes cantaram palavras de ordem como “sou cotista, tenho direito, estou na luta por respeito”.

Ao entregar os documentos para à equipe da Reitoria, Franciéle Rodrigues, estudante de Ciências Jurídicas e Sociais da UFRGS e integrante do DCE, fez uma breve fala sobre as dificuldades enfrentadas por estudantes que têm a matrícula cancelada por problemas na apresentação de documentos.

“Creio que eu tenha sido escolhida para entregar esse documento em mãos para vocês porque eu entrei em 2018/2 no curso de direito e só fui ter minha matrícula homologada, depois de muita luta do DCE, de apoio jurídico, no início de 2020. Eu não tenho contato com meu pai e a universidade pediu inúmeras vezes os documentos dele. Assim como eu, quero que pessoas nessa situação tenham seu direito de estar matriculados na universidade. Isso é um sonho, eu fui a primeira da minha família a entrar na universidade pública, não quero que eu seja a última”, disse Franciéle.

Segundo o DCE, a Reitoria recebeu o documento e se comprometeu a dar uma resposta aos estudantes ainda nesta segunda.