• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Enquanto Bolsonaro pressiona o STF pelo fim do isolamento, Brasil tem 9 mil mortes

Número de casos confirmados de Covid-19 saltou para 135.106, com 610 mortes registradas em 24 horas, o que eleva o total para 9.146

Publicado: 08 Maio, 2020 - 11h54 | Última modificação: 08 Maio, 2020 - 11h58

Escrito por: Redação CUT

Edson Rimonatto/CUT
notice

No dia em que o presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) foi ao Supremo Tribunal Federal (STF) com um grupo de empresários pressionar o presidente da Corte, Dias Toffoli, pelo fim do isolamento social, o número de pessoas infectadas pelo novo coronavírus no Brasil saltou para 135.106, com 610 mortes registradas em 24 horas, que eleva o total para 9.146. O Brasil é o sexto país com mais mortes por Covid-19 no mundo.

A divulgação diária dos números não indica que as infecções e óbitos tenham necessariamente ocorrido nas últimas 24 horas, mas sim que os registros foram inseridos no sistema no período devido à demora nos resultados dos exames.

São Paulo, estado mais afetado pela pandemia, com 40 mil casos confirmados de coronavírus e 3.206 mortes, deve anunciar ainda nesta sexta-feira (8) um endurecimento do isolamento social e a prorrogação da quarentena para o dia 1º de junho. A decisão será anunciada pelo prefeito Bruno Covas (PSDB) e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), durante coletiva de imprensa.

A reabertura de parte do comércio em São Paulo, que seria a partir do dia 10 de maio, também será prorrogada devido ao baixo nível de isolamento social, única forma de conter a disseminação da doença já que não existe remédio nem vacina para tratar a Covid-19. Para a flexibilização da quarentena, segundo especialistas, a curva de contaminação da Covid-19 precisa estar em queda, a testagem tem de massiva, o isolamento social em alta e atingir pelo menos 70%, e leitos de internação disponíveis — coisas que São Paulo não tem no momento.

No centro da crise, Fortaleza adotou nesta sexta-feira (8) o lockdown, confinamento obrigatório, para evitar a propagação do novo coronavírus. Além da capital cearense, Belém (Pará) e São Luís (Maranhão) já adotaram medidas mais restritivas para evitar a circulação de pessoas. O Ceará tem 13.888 casos confirmados e 902 óbitos. 

No primeiro dia de lockdown, Fortaleza registrou aglomerações em terminais de ônibus e engarrafamento em pontos de bloqueio realizados em algumas das principais avenidas da cidade. Porém, o movimento de pessoas no início da manhã foi menor nos calçadões do centro da cidade e locais públicos.

Na região do Norte, uma das mais afetada pela pandemia, o Amazonas ultrapassou a marca de 10 mil casos confirmados do novo coronavírus nesta quinta-feira (7). Com o registrou de 856 novos casos nas últimas 24 horas, o total chegou a 10.099. Segundo o boletim da Secretaria Estadual de Saúde do estado, 806 morreram vítima das Covid-19.

Rio ultrapassa SP pela primeira vez

O Rio de Janeiro ultrapassou o estado de São Paulo e registrou o maior número de mortes por Covid-19 em 24 horas. Foram 189 novas mortes confirmadas no estado em um único dia, segundo a Secretaria Estadual de Saúde. Em São Paulo foram 161 mortes no mesmo período.

Os números do Rio de Janeiro desta quinta-feira ((7) são mais que o dobro do recorde anterior, registrado na quarta-feira (6), quando foram confirmadas 82 mortes. Foram 155 pessoas mortas só na cidade do Rio.

O número de casos confirmados também deu um salto foi para 14.156 casos confirmados no total.