• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Em Plenária Interestadual, sindicalistas organizam agenda de lutas no Nordeste

Além do dia 10 de agosto, Dia Nacional do Basta, com mobilizações em todo país, CUT organizará atos no dia 13 de julho e 15 de agosto. Participação da Central nas eleições também foi destaque na plenária

Publicado: 10 Julho, 2018 - 16h11 | Última modificação: 10 Julho, 2018 - 17h56

Escrito por: Redação CUT

CUT-PE
notice

Indignação, resistência, mobilização e organização do calendário para o próximo período marcaram as atividades da ‘Plenária Interestadual da CUT Nordeste II’, realizada nesta segunda-feira (9), em Recife, com a participação de centenas de sindicalistas e militantes dos estados de Pernambuco, Bahia, Sergipe, Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte.

Os representantes das CUT’s estaduais do Nordeste e da direção nacional da Central só deram início às atividades após manifestarem indignação com a guerra jurídica ocorrida no dia anterior, desencadeada pelas manobras do juiz Sergio Moro e dos desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, João Gebran Neto e Carlos Eduardo Thompson Flores, para manter Lula preso apesar de o desembargador Rogério Favreto ter determinado a soltura em três despachos dados no domingo (8).

A perseguição política e jurídica ao ex-presidente Lula e os ataques aos direitos promovidos pelo governo ilegítimo e golpista de Michel Temer (MDB-SP) foram temas do debate durante todo dia e pautaram a organização da luta na região nos próximos meses.

Conjuntura política e Dia do Basta

No período da manhã, aproximadamente 400 sindicalistas lotaram o auditório do Sindsprev, na Boa Vista, para debater sobre a Plataforma da CUT para as Eleições 2018, as propostas para impulsionar a luta dos trabalhadores e trabalhadoras em defesa de seus direitos e a organização da região Nordeste nas atividades do próximo período, com destaque para o Dia Nacional do Basta, em 10 de agosto, quando mobilizações dos trabalhadores e trabalhadoras no local de trabalho, nas praças e nas comunidades exigirão um basta de desemprego, de aumento do gás de cozinha e dos combustíveis, de retirada de direitos, de privatizações e de perseguição ao Lula.

Outras datas importantes serão o dia 13 de julho, quando os movimentos sociais, partidos políticos e centrais sindicais realizarão o Dia de Mobilização contra os desmandos do TRF4 e do juiz Sérgio Moro, com panfletagem nacional, e o dia 15 de agosto, quando ocorrerá uma grande mobilização em Brasília para marcar o dia do registro da candidatura de Lula à Presidência da República.

O secretário-adjunto de Comunicação da CUT, Admirson Medeiros, o Greg, assinalou a importância dos debates das Plenárias Regionais para fortalecer a intervenção da CUT no debate eleitoral, além de ser um instrumento importante de organização da classe trabalhadora.

“É fundamental a realização dessas plenárias regionais para que possamos colocar a agenda prioritária da classe trabalhadora no centro do debate eleitoral em todas as regiões do país. Assim, construiremos uma maior participação da população, dos movimentos sociais organizados, das entidades sindicais e da militância comprometida para ajudar na construção desse importante instrumento de debate social”, defendeu.

Ocupar as ruas

No período da tarde, na Praça da Independência, no centro do Recife, os movimentos sindical e sociais da região realizaram a “Assembleia Lula Livre”, onde ocorreu o lançamento oficial da Marcha ‘Lula Livre’, que vai rodar o estado de Pernambuco a partir do dia 16 de julho. A Marcha vai sair com mil pessoas de Bezerro, no agreste pernambucano, a 100 km da capital, com previsão de chegada em Recife no dia 20 de julho.

Durante o ato, a vice-presidenta nacional da CUT, Carmen Foro, convocou a classe trabalhadora a ocupar as ruas e avenidas do País em defesa da democracia, da soberania e liberdade de cada homem e mulher escolher o seu presidente.

"As eleições são estratégicas para CUT. Temos de eleger companheiros e companheiras de nosso campo de luta e, principalmente, eleger o presidente Lula. Nesse momento, manter a candidatura de Lula é fundamental para todos nós. Lula tem de estar em liberdade e basta de manobras do TRF-4 e do juiz Moro”, disse Carmem.

O presidente da CUT Pernambuco, Paulo Rocha, também destacou a importância de ocupar as ruas no próximo período. “Os movimentos sindical e social precisam unir forças para ocupar as ruas e construir um grande dia de mobilização em 10 de agosto, quando iremos dizer um basta de desemprego, de reforma da Previdência, de reforma trabalhista, da sanha política e entreguista que estão sendo cometidas por este governo golpista de Temer."

Participaram também da ‘Plenária Interestadual da CUT Nordeste II’ o secretário-adjunto de Administração e Finanças da CUT, Aparecido Donizeti da Silva, a secretária de Saúde do Trabalhador da CUT, Madalena Silva, a secretária de Políticas Sociais da CUT, Jandyra Uehara, e o diretor executivo Milton dos Santos Rezende (Miltinho).

carregando
carregando