• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Eduardo Leite respalda prisão de mulher que bateu panela contra Bolsonaro

O tucano afirmou que a manifestante presa fez “ameaças de agressão e desacato a policiais”

Publicado: 12 Julho, 2021 - 10h37

Escrito por: CUT RS

Reprodução
notice

O governador Eduardo Leite (PSDB) fez uma sequência de tuítes neste sábado (10) demonstrando estar de acordo com a prisão da mulher que batia panela na calçada e protestava contra a motociata do presidente Jair Bolsonaro (ex-PSL), realizada pela manhã nas ruas de Porto Alegre.

Leite exaltou a atuação da Brigada Militar que, segundo ele, “atuou para garantir a ordem e a segurança a manifestantes de ambos os lados”. O tucano afirmou que a manifestante presa fez “ameaças de agressão e desacato a policiais”.

Para ele, “evidências apontam que o recolhimento da manifestante foi justificado”. A mulher já foi liberada no início da tarde.

Prisão foi autoritária e abusiva

O advogado do mandato do vereador Jonas Reis (PT), que defendeu a mulher na delegacia, Aloísio Rosa de Melo, informou que ela reconheceu que se exaltou, porém em nenhum momento teve a intenção de fazer algo ou agredir alguém.

"Era o direito dela de livre manifestação. Ela me disse que era muito mais pela questão das mais de 500 mil mortes [pela Covid], e um evento que parece um deboche da situação toda", disse Aloisio.

Segundo o advogado, a mulher foi algemada e conduzida por duas policiais femininas à delegacia. "Quando eu cheguei lá [na DP], eu até pedi para tirar uma das algemas que ela ainda tinha em um dos braços, porque isso na verdade é ilegal. Só pode ser algemado se há uma resistência muito grande por parte da pessoa, e ela não me disse ter resistido", destacou.

O vereador alertou que Bolsonaro não usou máscara e não foi multado nem por ordem do governador e nem do prefeito Sebastião Melo (MDB), ao contrário do que já ocorreu em outros estados.

Para Jonas, a prisão foi autoritária e abusiva. “Ela foi presa hoje por bater panela na passagem do jumento miliciano. Nosso advogado esteve na batalha. Derrotar o retrocesso todos os dias é nossa luta. O mandato esteve nas ruas desde cedo contra o genocida em Porto Alegre. Estamos muito felizes que a liberdade foi reestabelecida. Continuaremos nas ruas, batendo panela sim, gritando #ForaBolsonaroeSuaQuadrilha".

A Brigada Militar não deteve nenhum dos apoiadores de Bolsonaro que participaram da motociata.