• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Deputados de Alagoas e Sergipe estão entre os que mais traíram os trabalhadores

Confira quem são os deputados de Alagoas e Sergipe que votaram contra a classe trabalhadora e os brasileiros mais pobres. Eles estão sempre a favor dos patrões. Está na hora de usar as urnas para dar o troco

Publicado: 28 Setembro, 2018 - 15h42 | Última modificação: 05 Outubro, 2018 - 14h13

Escrito por: Rosely Rocha, especial para Portal CUT

Alex Capuano/CUT
notice

A população da Região Nordeste do país tem sido uma das mais leais ao legado que o ex-presidente Lula deixou ao país. Lula levou investimentos que geraram empregos e renda, combateu a fome e a sede de milhares de sertanejos e isso incomodou os latifundiários da região e as elites locais que lucravam com a desgraça do povo.

Resultado, mobilizaram suas bancadas no Congresso Nacional, formada por empresários ou parlamentares que financiaram,  e mandaram aprovar medidas como a reforma Trabalhista e a terceirização, que retiraram direitos dos trabalhadores e das trabalhadoras;  a PEC  do Teto dos Gastos Públicos, também conhecida como PEC da Morte,  que congelou por 20 anos investimentos em áreas sociais, em especial as da saúde e educação;  e o projeto que entrega o petróleo do pré-sal aos estrangeiros.

No estado de Alagoas, um dos deputados que mais tentou tirar o legado de Lula foi Artur Lira (PP).  Ele que foi denunciado pela Procuradoria Geral da República (PGR) ao Supremo Tribunal Federal (STF) por peculato e lavagem de dinheiro por desviar de recursos públicos, votou a favor de todos os projetos do governo golpista e ilegítimo de Michel Temer (MDB-SP), que prejudicam os trabalhadores: a reforma, a terceirização, a PEC da Morte e a entrega do pré-sal.

Nivaldo Albuquerque (PRP) foi na mesma linha pró-patrão e votou a favor da reforma Trabalhista, da terceirização e da entrega do pré-sal ao capital estrangeiro.

Já Cícero Almeida (MDB) votou contra os trabalhadores ao aprovar a reforma Trabalhista e a terceirização, enquanto o tucano Pedro Vilela (PSDB) ajudava a entregar o nosso petróleo aos estrangeiros, votando a favor da PEC do pré-sal.

Quem também ajudou o governo golpista a prejudicar a vida da classe  trabalhadora foi Marx Beltrão (MDB) que votou a favor da PEC da Morte, que poderá deixar milhões de brasileiros sem saúde e educação e outros benefícios sociais pelos próximos 20 anos.

Em Sergipe, o deputado federal André Moura (PSC) foi um dos mais ativos a favor dos golpistas. Ele que foi líder do governo de Temer, entre maio de 2016 a fevereiro de 2017, votou a favor da reforma Trabalhista, da terceirização e da entrega do pré-sal.

André Moura é suspeito de atuar com aliados do ex-deputado Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara dos Deputados, preso por corrupção,  para chantagear empresas na chamada Casa do Povo, segundo a Operação Lava Jato. Também é acusado de se apropriar ou desviar bens públicos, durante e após o seu mandato de prefeito de Pirambu, como alimentos e veículos da frota do município, receber ilicitamente mesada entre R$ 50 e 30 mil reais, e indicar funcionários fantasmas, entre eles sua esposa, para trabalhar na prefeitura.

Quem também votou contra a classe trabalhadora foi Laércio Oliveira (Solidariedade), que ajudou a aprovar a terceirização e a reforma Trabalhista.

Fabio Reis (MDB) votou a favor da PEC da Morte e do fim do monopólio da Petrobras sobre o pré-sal.

Bosco Costa (PR) votou pela entrega do pré-sal brasileiro aos estrangeiros, antes de mudar de partido. Na época da votação, Bosco Costa era do PROS.

 

Confira aqui o diagnóstico das eleições 2018 de Alagoas e Sergipe, feito pelo DIAP

 

carregando
carregando