• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Datafolha mostra que Haddad vence no Nordeste por 52% a 32%

Diferença é praticamente a mesma do primeiro turno

Publicado: 11 Outubro, 2018 - 09h23 | Última modificação: 11 Outubro, 2018 - 09h26

Escrito por: Redação RBA

notice

Na primeira pesquisa depois do primeiro turno das eleições presidenciais, Jair Bolsonaro (PSL) mantém vantagem sobre Fernando Haddad (PT), conforme indica o instituto Datafolha. O ex-militar tem 58% dos votos válidos, enquanto o petista aparece com 42%. Isso mostra crescimento praticamente igual das duas candidaturas, já que na eleição do último domingo (7) Bolsonaro teve 46% dos válidos e Haddad, 29%.

Considerados todos os votos, a pesquisa mostra 49% para o candidato do PSL (42% no primeiro turno) e 36% para o do PT (27%). Votos em branco e nulos somam 8%, enquanto 6% se declaram indecisos. 

Bolsonaro tem seu melhor desempenho na região Sul: 60% a 26%. No Centro-Oeste, vence por 59% a 27%. No maior colégio eleitoral, o Sudeste, está a frente com 55%, ante 32% de Haddad. Ele também leva vantagem no Norte, por 51% a 40%. O petista vence no Nordeste, 52% a 32%.

O capitão reformado tem mais votos entre homens (57%) do que entre mulheres (42%). A situação se inverte com o ex-prefeito e ex-ministro, com 39% do voto feminino e 33% do masculino.

O candidato do PSL também recebe preferencialmente o votos dos mais ricos, com 62% no segmento do que recebem de 5 a 10 salários mínimos e acima de 10. E ganha 58% dos votos do eleitores com ensino superior. Haddad se sai melhor entre eleitores apenas com o ensino fundamental e aqueles cuja renda familiar mensal média é de até dois mínimos.

O levantamento mostra ainda apoio expressivo a Bolsonaro entre os evangélicos, com 60%, ante 26% de Haddad. Entre os eleitores católicos, a contagem é mais equilibrada: 46% a 40%. 

O Datafolha informa que ouviu 3.235 pessoas em 227 municípios nesta quarta-feira (10). A margem de erro do levantamento é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos. A pesquisa foi contratada pelo jornal Folha de S. Paulo e pela TV Globo. 

carregando
carregando