• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

CUT-RN repudia repressão da PM que tentou barrar ato contra reforma de Bolsonaro

PM’s não identificados agrediram trabalhadores, entre eles a presidenta da CUT-RN, Eliane Bandeira e Silva, crianças e idosos que participavam de protesto contra a reforma da Previdência de Jair Bolsonaro

Publicado: 14 Junho, 2019 - 12h06 | Última modificação: 14 Junho, 2019 - 15h38

Escrito por: Redação CUT

CUT-RN
notice

Policiais militares não identificados agrediram trabalhadores e trabalhadoras, entre eles a presidenta da CUT-RN, Eliane Bandeira e Silva, crianças e idosos que participavam de protesto contra a reforma da Previdência de Jair Bolsonaro, por mais empregos e por um ensino público de qualidade e acessível a todos.

"Eles jogaram spray de pimenta na minha cara", diz Eliane que passou mal na hora, mas já melhorou e continuou na luta. Segundo ela, todo setor produtivo está parado em Natal e cidades do interior. Na capital, afirmou, bancos estão fechados e tranbsporte público está de braços cruzados.

A repressão policial contra os trabalhadores ocorreu no início da manhã desta sexta-feira (14), dia da greve geral convocada pela CUT e demais centrais em defesa da aposentadoria e da geração de emprego e renda, quando a presidenta da CUT tentava dialogar com os PM’s, que são servidores públicos, uma das categorias que sofrem com o descaso e a precariedade do trabalho, diz nota de repúdio da CUT-RN.

Fomos “surpreendidos com gás de pimenta”, justo no momento em que “centenas de trabalhadores e trabalhadoras ocupavam a rotatória da BR 101 da cidade de Extremoz/RN, por volta das 3h da manhã”, diz trecho da nota.

Apesar da violência da PM, a CUT reafirma na nota o compromisso da Central com a greve geral e convoca a base CUTista e a classe trabalhadora em geral para participar do ato que será realizado na capital do Estado, às 15h, no cruzamento da Bernardo Vieira com a Salgado Filho.

Leia a íntegra da nota

NOTA DE REPÚDIO À REPRESSÃO POLICIAL SEM DIÁLOGO COM OS TRABALHADORES (AS) QUE OCUPARAM A ROTATÓRIA DE EXTREMOZ DA BR 101

A Central Única dos Trabalhadores repudia toda e qualquer forma de repressão e violência que aconteceu contra a nossa presidenta Eliane Bandeira e Silva e demais manifestantes, por parte da Polícia Militar.

A truculência aconteceu durante o ato desta sexta-feira (14), enquanto centenas de trabalhadores e trabalhadoras ocuparam a rotatória da BR 101 da cidade de Extremoz/RN por volta das 3h da manhã.

O ato ocorreu de forma pacifica e visava dialogar com a classe trabalhadora a importância da Greve Geral e dar um recado ao governo Bolsonaro que o potiguar é contra a reforma da Previdência.

No entanto, por volta das 6h30, na tentativa de dialogar com os policiais militares que também são servidores públicos e sofrem com o descaso da precariedade do trabalho, a Presidenta da CUT/RN e demais pessoas ao redor foram surpreendidos com gás de pimenta. Vale salientar que na manifestação também havia crianças e idosos lutando por seus direitos. Os PMs não estavam identificados.

A CUT reafirma nosso compromisso com a Greve Geral e mais do que nunca, convocamos toda a base cutista e a classe trabalhadora em geral para participar das manifestações a tarde. Em Natal, nosso encontro marcado é as 15h, no cruzamento da Bernardo Vieira com a Salgado Filho.

Central Única dos Trabalhadores