• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

É hoje: Lançamento da campanha de solidariedade aos trabalhadores venezuelanos

Sérgio Nobre, presidente da CUT, recebe ministro venezuelano Jorge Arreaza para uma conversa sobre a campanha que visa angariar fundos para manutenção da usina de oxigênio do país vizinho

Publicado: 29 Junho, 2021 - 11h53 | Última modificação: 29 Junho, 2021 - 12h03

Escrito por: Redação CUT/RBA

reprodução
notice

A CUT lança nesta terça-feira (29), às 16h, uma campanha com objetivo de arrecadar recursos para manutenção de usina de oxigênio hospitalar da Venezuela, que enfrenta, desde 2015, bloqueios e sanções econômicas que a impedem de negociar e comprar insumos no mercado externo.

O ato de lançamento será em formato de live, com o presidente da CUT, Sérgio Nobre e o ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza. A transmissão será feita pelo Portal CUT e pelas redes sociais da CUT (Youtube e Facebook) e TVT.

A ação pretende retribuir a solidariedade dos trabalhadores daquele país no episódio de doação de oxigênio hospitalar durante o colapso no sistema de saúde em Manaus. Para isso a campanha angariará fundos para compra e doações de peças de manutenção para a usina do país vizinho.

A live também será transmitida pelas redes do Brasil 247, Opera Mundi, GGN, Brasil de Fato, Revista Fórum, Barão de Itararé e Carta Capital, que apoiam a campanha. O chanceler responderá a perguntas feitas por jornalistas dessas mídias.

No contexto da pandemia, a solidariedade

Apesar de enfrentar, desde 2015, mais de 150 ações de bloqueios e sanções econômicas, a Venezuela doou cerca de 130 mil litros de oxigênio em janeiro deste ano, gesto nunca agradecido pelo governo brasileiro. À época, o anúncio do envio foi feito pelo próprio Arreaza.

“Por instruções do presidente Nicolás Maduro, conversamos com o governador do estado do Amazonas, Wilson Lima, para disponibilizar imediatamente o oxigênio necessário para atender o contingente de saúde em Manaus. Solidariedade latino-americana acima de tudo!”, escreveu, em meados de janeiro. O insumo saiu da Siderúrgica de Orinoco (Sidor), no sul do país.