• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

CUT e demais centrais conquistam mesa de negociação em SP e  articulam em todo país

Sérgio Nobre levou ao governo de SP pauta dos trabalhadores em serviços essenciais e também cobrou a reconversão das indústrias durante a pandemia

Publicado: 01 Abril, 2020 - 16h59 | Última modificação: 02 Abril, 2020 - 15h41

Escrito por: Vanilda Oliveira

Reprodução
notice

A CUT e demais centrais sindicais conquistaram uma mesa estadual de negociação junto ao governo do Estado de São Paulo para apresentar e negociar medidas de proteção à saúde, aos empregos e à renda dos trabalhadores durante a pandemia de coronavírus (Covid-19). O espaço foi acordado nesta quarta-feira (1º), durante reunião das centrais com o governo do Estado, que foi representado pelo vice-governador, Rodrigo Garcia. Os sindicalistas já têm reuniões pré-agendadas com os governadores do Rio de Janeiro, Bahia e outros estados do Fórum do Nordeste. Farão a mesma reivindicação conquistada em SP.  

Na reunião, também ficou acordado entre centrais e o governo paulista que o Estado irá utilizar as instalações e leitos oferecidos pelos sindicatos de trabalhadores para atendimento da população infectada pela Covid19.

O presidente nacional da CUT, Sérgio Nobre, abriu sua participação falando da importância do diálogo neste momento de crise mundial e destacou as principais preocupações da CUT relativas à pandemia no Brasil e no Estado de São Paulo.

Ele ressaltou a importância de fazer uma reconversão da produção das indústrias e empresas de diferentes portes para que sejam produzidos itens essenciais ao consumo e também abertos novos postos de trabalho. Sérgio Nobre também falou da importância de os trabalhadores, por meio das centrais sindicais, terem voz em uma mesa estadual de debates e decisões durante e no pós-crise. E, ao final, a mesa foi criada. “É uma conquista da CUT e das demais centrais sindicais”, disse.

Durante a reunião, vários secretários e o vice-governador apresentaram o plano estadual de enfrentamento da crise, as medidas sanitárias e econômicas em curso e as que estão sendo planejados para a etapa pós-pandemia. No vídeo abaixo, Sérgio Nobre explica algumas delas.

“Estamos muito preocupados com a situação dos trabalhadores nas áreas essenciais, em especial na saúde, alimentação e serviços funerários. São categorias que estão trabalhando em situação de risco. Porque faltam equipamentos básicos para esses trabalhadores e trabalhadoras, como máscaras, aventais, e também para a população: respiradores e camas, segundo relatos que chegam dos nossos sindicatos”, disse Sérgio Nobre ao vice-governador.

O presidente nacional da disse que “também nos preocupa que, passada a fase mais aguda da pandemia, irá chegar o momento da retomada das atividades, e isso não pode ser feito de forma conflituosa. Tem que ser negociado, coordenado, com diálogo e entendimento entre os vários setores envolvidos”.

No vídeo desta quarta-feira (1º), o presidente da CUT fala mais da reunião com o governo de SP, agradece a todos os trabalhadores e trabalhadoras que estão à frente dos serviços essenciais, critica o pronunciamento de Bolsonaro, na noite de terça-feira (31), e destaca o tamanho e a importância do panelaço feito durante a fala presidencial.

Saiba mais, assista à integra do vídeo: