• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

CUT e centrais realizam ato pelo auxílio emergencial de R$ 600 no dia 3 em São Paulo

Atividade em frente à sede do Banco Central será também em defesa da desoneração de empresas

Publicado: 29 Outubro, 2020 - 16h11 | Última modificação: 29 Outubro, 2020 - 16h48

Escrito por: Redação CUT

Reprodução
notice

A CUT e demais centrais sindicais voltarão às ruas na próxima terça-feira (3), para um ato em São Paulo, em frente à sede do Banco Central, na Avenida Paulista. Na pauta, a manutenção do auxílio emergencial no valor de R$ 600 e a desoneração da folha de pagamento para que empresas possam reagir aos efeitos da pandemia e manter empregos. A manifestação está marcada para as 11h.

CUT e centrais aumentam pressão para deputados votarem e aprovarem os R$ 600

A questão do auxílio emergencial de R$ 600 é tema de campanha das centrais desde setembro, quando o governo de Jair Bolsonaro (ex-PSL) editou a Medida Provisória (MP) 1.000, prorrogando o benefício até dezembro, mas o reduzindo o valor pela metade, para R$ 300.

A oposição na Câmara e as centrais querem que a MP entre na pauta, que está obstruída há um mês. Nesta semana, o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que poderia incluir o tema na ordem do dia.

Deputados sentem a pressão popular pelos R$ 600. Vamos pressionar mais, diz Sérgio Nobre

Já a manutenção da desoneração da folha, para 17 setores da economia, foi vetada por Jair Bolsonaro. A princípio, termina em dezembro. Mas o Congresso está se mobilizando para derrubar o veto. O presidente do Senado e do Congresso, Davi Alcolumbre (DEM-AP), marcou para a próxima quarta (4) uma sessão conjunta para analisar vetos presidenciais e projetos de lei.

As centrais apoiam a manutenção da desoneração por mais um período (não indefinidamente), desde que para essa desoneração tenha como contrapartida por parte das empresas da manutenção dos empregos durante o período (sem demissões).

Com informações do repórter Vitor Nuzzi, da RBA.