MENU

CUT define o dia 13 para ações mensais das Brigadas Digitais e Comitês de Luta

Encontro de organizadores das Brigadas e Comitês da CUT foi realizado nesta quarta (8) para reorganizar atuação e definir estratégias. Convidado especial, youtuber Thiago Reis falou sobre estratégias nas redes

Publicado: 08 Junho, 2022 - 13h09

Escrito por: Redação CUT/Texto: André Accarini | Editado por: Marize Muniz

reprodução
notice

As Brigadas Digitais e os Comitês de Luta em Defesa da Classe Trabalhadora, pela Vida e Democracia, inciativas da CUT para dialogar com a população nas redes e nas ruas sobre o futuro do país, combater a disseminação de notícias falsas, as fake news, e defender a democracia têm crescido de forma exponencial nos últimos tempos.

Para preparar os novos brigadistas e organizadores de Comitês, bem como traçar estratégias de atuação, a CUT promoveu na manhã desta quarta-feira (8) um encontro virtual que reuniu mais de cem pessoas de todo o país.

Um dos destaques do encontro foi a articulação de ações nacionais, que serão realizadas sempre no dia 13 de cada mês já partir da próxima segunda-feira. O objetivo é potencializar ainda mais o alcance das Brigadas e dos Comitês em todo o território nacional.

Para os Comitês de Luta, estão programadas ações nos locais de trabalho, comunidades, escolas e em todos os locais onde os espaços de diálogo foram constituídos. Serão realizados debates, rodas de conversa e panfletagens, além de atividades de solidariedade contra a fome e o frio, com arrecadação e distribuição de alimentos e agasalhos.

“Vamos dar visibilidade aos Comitês, reforçando nestes dias as ações de diálogo com a população para reforçarmos essa grande mobilização pela reconstrução do Brasil”, disse Roni Barbosa, secretário de Comunicação da CUT nacional. De acordo com ele, a data também tem o objetivo de estimular o cadastramento dos muitos Comitês na rede da CUT.

Já para as Brigadas Digitais, várias propostas de ação foram sugeridas. Uma delas é convidar 13 pessoas para cada brigada criada, aumentando, assim, de forma ainda mais consistente, o alcance deste instrumento de luta em todo o país.

Importância do engajamento

Hoje já são mais de 1.100 Brigadas Digitais formadas e a criação acelerada contribui para o projeto de reconstrução do país, com direitos sociais e trabalhistas e justiça social, disse Rosane Bertotti, secretária de Formação da CUT nacional. “As brigadas são parte importante desse projeto que é de fortalecimento da classe trabalhadora”.  

Na abertura do encontro, a secretária reforçou a importância dessas estratégias de ação para conscientizar os brasileiros e brasileiras sobre a importância das eleições deste ano, que deve ser inundada por fakes news, estratégia da extrema direita para eleger candidatos sem compromisso com a classe trabalhadora.

“Cada vez mais perto do processo eleitoral vamos presenciar ofensivas do presidente [Jair Bolsonaro], que tem a máquina do Estado na mão e usa de ações mentirosas, fake news, além da violência física e moral, para tentar mudar o quadro da esperança que tem crescido no Brasil”, disse a dirigente.

Rosane também destacou a atuação dos Comitês, em especial para quem tem fome hoje e está nas ruas, sem casa e sem emprego. “Essas pessoas têm esperança, mas precisam comer hoje e os Comitês têm cumprido o papel de ajudar essas pessoas”, disse.

Leia mais: Com Bolsonaro, fome aumenta 57,4% e atinge mais de 33 milhões de brasileiros

Mecânica das redes

Para subsidiar e enriquecer com informação sobre estratégias de atuação nas redes sociais, o influencer e youtuber Thiago dos Reis, do canal Plantão Brasil, que tem mais de 750 mil seguidores no YouTube e mais de um milhão no Facebook, falou sobre estratégias nas redes sociais. Ele também mantém outros três canais, que somam mais de 20 milhões de visualizações ao todo.

Thiago dos Reis começou sua participação afirmando que a CUT está na linha de frente para defender o trabalhador brasileiro, mas muita gente ainda não sabe. “A comunicação digital é importante para fazer a nossa mensagem chegar até às pessoas, principalmente as despolitizadas”, ele afirmou explicando que a comunicação passou por uma transformação nos últimos tempos e hoje é digital.

“Milhões de brasileiros são despolitizados, não acompanham nada e não fazem a mínima ideia de como uma simples ação do governo pode desgraçar a vida das pessoas ou pode melhorar muito a vida das pessoas. Essas mensagens, a gente tem que fazer chegar às pessoas”, ele reforçou.

Experiente em redes sociais – ele já atua há mais de 15 anos nos canais –, Thiago dos Reis explicou a tática de Bolsonaro usar as notícias falsas (fake news) para conseguir se eleger. “Ele começou a criar milhares de grupos de WhatsApp antes da eleição – muito antes. Criaram grupos por temas, enganando as pessoas. Criavam, por exemplo, grupo ‘evangélicos da cidade’. As pessoas entravam pensando que iam receber mensagens religiosas. Recebiam, de fato, mas no meio, recebiam mensagens pró-Bolsonaro”

Ele explicou ainda que às vésperas das eleições o conteúdo se expandiu para as fake news, ‘ligando Haddad ao diabo, comunismo ao diabo”, ou seja, entravam de boa vontade e acabavam sendo aliciadas.

Os temas eram os mais diversos. De grupos de policias a caminhoneiros, enganaram grupos que já existiam e assim se dava atuação. “Eram grupos até pequenos. Podia ser um grupo de 100 pessoas, mas de um seguimento e o conteúdo era direcionado”.

Cada grupo tinha seu ‘tom de conversa’ próprio. Evangélicos recebiam mensagens leves, falando sobre Deus, a pátria. Já em grupos pró-intervenção militar as mensagens tinham o peso violento do ‘vamos metralhar a petralhada”.

Thiago falou ainda sobre a desonestidade dos grupos bolsonaristas em, por exemplo, usarem manifestações como a grande mobilização “Ele Não”, de 2018 e espalharem imagens falsas, degradando a manifestação, como se fossem daqueles atos.

Para 2022, não é possível ainda saber qual será a tática do bolsonarismo. Mas para combater a ofensiva que está por vir, as Brigadas Digitais estão em ação.  Thiago Reis ainda orientou os militantes a compartilharem conteúdos de qualidade que viralizam. Segundo ele, o engajamento é maior e citou, inclusive a rede Tik Tok como uma ferramenta que deverá ser muito utilizada no período eleitoral.

A atuação das Brigadas Digitais e dos Comitês é o instrumento principal neste período para alertar a população sobre o futuro do Brasil. “ Se eles têm esses recursos e essas táticas, nós temos pessoas, a nossa militância e vamos vencer essa batalha”, concluiu Roni Barbosa.