• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

AO VIVO: CPI da Covid ouve advogada de médicos que denunciaram Prevent Senior  

Bruna Morato representam os 15 médicos que trabalharam na Prevent Senior e elaboraram um dossiê com  diversas denúncias sobre o tratamento da empresa aos pacientes com Covid-19, inclusive com a alteração

Publicado: 28 Setembro, 2021 - 08h43 | Última modificação: 28 Setembro, 2021 - 10h39

Escrito por: Redação CUT

 

A CPI da Covid do Senado ouve nesta terça-feira (28) o depoimento da advogada Bruna Morato, que representam os 15 médicos que trabalharam na Prevent Senior e elaboraram um dossiê com   diversas denúncias sobre o tratamento da empresa aos pacientes com Covid-19, inclusive com a alteração de prontuários.

De acordo com o dossiê entregue à comissão parlamentar de inquérito, os profissionais da Prevent Senior eram pressionados a administrar o chamado “kit covid”, também conhecido como tratamento precoce contra a doença, sem consultar pacientes e parentes.

O dossiê aponta também que os atestados de óbitos eram adulterados para ocultar o motivo das mortes. Entre os atestados adulterados estão o do médico Anthony Wong, defensor do tratamento precoce, e o da mãe do empresário Luciano Hang, Regina Hang.

O kit Covid é composto por medicamentos cientificamente ineficazes contra a doença, como hidroxicloroquina, ivermectina e azitromicina.

O requerimento de convocação de Bruna Morato foi apresentado pelo senador Humberto Costa (PT-PE). Nos últimos dias, a CPI tem se dedicado a mais uma linha de investigação: eles apuram, a partir do dossiê dos médicos, se a operadora usou indiscriminadamente em pacientes da rede remédios ineficazes. Apuram também se a Prevent Senior realizou experimentos com pacientes sem autorização das famílias e da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) e se esses estudos teriam sido usados pelo Ministério da Saúde por meio do "gabinete paralelo”.

Nesta quarta-feira (29), será vez do depoimento do dono da rede varejista Havan, sobre o tratamento precoce recebido por sua mãe, Regina Hang, que morreu de Covid em um hospital da Prevent Senior. Além da denúncia que consta no dossiê dos médicos, o prontuário, obtido pela Folha, também mostra que a paciente recebeu tratamento precoce com medicamentos ineficazes contra a doença, como azitromicina, hidroxicloroquina, prednisona e colchicina, antes de morrer.

O atestado de óbito da mãe do empresário também teria sido adulterado para ocultar que ela teria morrido em decorrência de complicações relacionadas à Covid-19. Segundo o atestado, Regina Hang morreu em consequência de uma pneumonia bacteriana.

Renan Calheiros afirmou na quarta que a comissão tem provas de que o empresário Luciano Hang pediu para que os médicos que trataram sua mãe não divulgassem que ela teria sido medicada com o chamado "kit Covid".

Hang é um dos defensores do tratamento precoce, com medicamentos sem eficácia comprovada para tratar a Covid-19, defendido pelo presidente Jair Bolsonaro, inclusive em seu discurso na Assembleia Geral da ONU na semana passada.

Em depoimento à CPI da Covid, o diretor-executivo da Prevent, Pedro Batista Júnior, negou as acusações do dossiê, garantiu também que os atestados não foram adulterados, apesar de ter reconhecido que um protocolo da Prevent orientava a reclassificação do chamado CID, o código de diagnóstico da doença, para excluir dos prontuários a Covid-19. De acordo com o protocolo, depois de um determinado tempo internados, eles anotavam nos prontuários que os pacientes  estavam com outros problemas de saúde.

Afirmou que não se tratava de estudos sobre a eficácia dos medicamentos do "kit covid" e sim de uma simples observação com o uso. Ele acusou ainda dois médicos de acessarem e alterarem as planilhas para prejudicar a empresa

Para os senadores da comissão, os depoimentos deverão aprofundar apurações sobre as supostas irregularidades e possível elo entre o governo federal e a Prevent Senior para promover tratamento ineficaz para Covid-19. Bolsonaro e família falaram sobre o "estudo".

Como mostra o Correio Braziliense, em abril de 2020, Bolsonaro e o filho zero um, o senador Flávio Bolsonaro compartilharam uma matéria que afirmava que a Prevent Sênior tinha reduzido o uso de respiradores de 14 para 7 dias usando o 'tratamento precoce'.

Além disso, os depoimentos voltarão a colocar em evidência o gabinete paralelo, estrutura não oficial de aconselhamento para temas da pandemia de Bolsonaro.

De acordo com reportagem do jornal Valor Econômico, a insistência da Prevent Senior em torno do uso do Kit Covid tem um forte viés econômico em função do baixo custo em comparação a outros procedimentos de alta complexidade utilizados no combate ao coronavírus.

Hang x fake news

Além das denúncias sobre tratamento da mãe com o kit covid e da adulteração do at estado de óbito, o depoimento de Luciano Hang ganhou força, após a convocação, quando a TV Globo divulgou documentos que indicam que o empresário financiou o blogueiro bolsonarista Allan dos Santos graças à ajuda do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP.

Hang, Eduardo e o blogueiro negaram este financiamento. O canal Terça Livre, de Allan dos Santos, é investigado em dois inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF) por disseminar fake news e incitação ao crime contra autoridades.