• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Copa América abre quartas de final nesta sexta, com 45 gols e 198 casos de Covid-19

Com 20 jogos realizados, Copa América teve quatro vezes mais casos de Covid-19 entre jogadores, trabalhadores e equipes técnicas do que gols

Publicado: 02 Julho, 2021 - 10h31 | Última modificação: 02 Julho, 2021 - 10h45

Escrito por: Redação CUT

Lucas Figueiredo/CBF
notice

A primeira fase da Copa América termina com números nada promissores. Foram 20 jogos, apenas 45 gols, queda de 60% na audiência, prejuízo financeiro e 198 casos confirmados de Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus.

Nesta sexta-feira (2), tem início as quartas de final e o mata-mata, que começa com a seleção brasileira entrando em campo, às 21h, para enfrentar o Chile, chama menos atenção do que as contaminações pelo vírus. A média de casos de Covid-19 detectados por jogo até aqui é 4,4 vezes maior do que a média de gols: 9,9, ante 2,25.

Do total de casos, 57 foram registrados entre jogadores das seleções e membros das delegações, 137 entre prestadores de serviços (motoristas, trabalhadores de hotéis, profissionais que atuam nos estádios) e quatro da Conmebol (equipe de arbitragem, médicos e profissionais de logística).

Novas cepas?

Os dados da Covid-19 na Copa América são do Ministério da Saúde, que não informou a situação dos contaminados nem ocorrência de óbito. O ministério também não informou se foram detectadas cepas diferentes do novo coronavírus entre os contaminados, pois alegou não ter concluído ainda os sequenciamentos genéticos dos materiais coletados. Desde o anúncio do torneio no Brasil, uma das maiores preocupações era a introdução de novas cepas no país.

Os prejuízos estão estimados entre US$ 15 milhões e US$ 25 milhões, segundo a Conmebol. Embora o prejuízo pareça menor do que o previsto com a não realização do evento, em torno de US$ 50 milhões, o fato é que a Copa América não teve aceitação da população em meio à pandemia, que já matou mais de 520  mil pessoas só no Brasil.

Além de os jogos não poderem receber público, patrocinadores como Mastercard e Digeo preferiram não ter suas imagens associadas ao evento em um país que contabiliza 520 mil mortos pela covid-19.

Outro ponto que contribui para o prejuízo do torneio em meio à pandemia é a baixa audiência dos jogos no SBT. Comparado ao campeonato realizado também no Brasil, em 2019, com transmissão da Globo, a competição sul-americana perdeu cerca de 60% dos telespectadores, com média de 15 pontos do torneio atual, ante 33 do anterior.

Por que a Copa América está sendo realizada no Brasil?

A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) anunciou o Brasil como a nova sede para a Copa América, depois que a Argentina e a Colômbia desistirem de sediar o evento devido à crise sanitária causada pela pandemia da Covid-19 no primeiro país e as manifestações contra o governo no segundo.

O anúncio foi muito criticado por especialistas em saúde e por parte da população porque veio em um momento de descontrole da pandemia no país. 

Já os internautas criticaram o fato de que a resposta do governo de Jair Bolsonaro (ex-PSL) para a Conmebol foi ágil em comparação ao tempo que o presidente e seus subordinados demoraram para responder a Pfizer sobre a oferta de vacinas contra a Covid-19.

Ficou comprovado nos depoimentos prestados à CPI da Covid do Senado, que começou apurando ações e omissões de Bolsonaro na pandemia e agora apura também denúncias de corrupção, que o governo demorou meses para responder a Pfizer, o que contribuiu para que mais pessoas morressem antes das vacinas chegaram ao país. 

Mata-mata

As quartas começam amanhã com o jogo entre Peru e Paraguai, no Estádio Olímpico de Goiânia, às 18h. Depois, às 21h, a seleção brasileira entra em campo contra o Chile, que deve ter de volta sua principal estrela, o atacante  Alexis Sánchez, recuperado de lesão muscular que o tirou da primeira fase da competição. .

A seleção brasileira é a 1ª colocado do Grupo B e fez a melhor campanha geral da competição, mas empatou com o Equador. Já os chilenos terminaram a primeira fase na quarta posição do grupo A.

No sábado (3), o Uruguai enfrenta a Colômbia, no Mané Garrincha, em Brasília, às 19h. E a Argentina joga contra o Equador, também no Olímpico de Goiânia, às 22h.

Com informações da RBA e agências de notícias, como UOL/Esporte.