• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Conselho de Ética pede expulsão de deputado Fernando Cury que assediou Isa Penna

Conselho de ética do Cidadania, partido de Fernando Cury, pede expulsão do deputado que apalpou seios da deputada Isa Penna (PSOL), durante sessão na Assembleia de SP, ocorrida em dezembro

Publicado: 12 Janeiro, 2021 - 14h50

Escrito por: Redação CUT

Divulgação
notice

O Conselho de Ética do Cidadania pediu expulsão do deputado estadual Fernando Cury, do próprio partido, flagrado por câmeras, apalpando os seios da deputada Isa Penna (PSOL), dentro da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), durante sessão da Casa.

Isa conversava com o presidente da Alesp, Cauê Macris (PSDB) quando Cury passou a mão na altura dos seus seis e tentando abraçá-la por trás. Isa rechaçou o assédio e empurrou o deputado no mesmo instante.

O caso ocorreu em dezembro e gerou repercussão de revolta nas redes sociais e na imprensa. Na ocasião, a deputada classificou o ato como assédio e pediu a cassação do mandato do parlamentar. Após a divulgação das imagens, o deputado estadual Fernando Cury subiu à tribuna e afirmou que ficou "triste e constrangido" com a repercussão do episódio. Ele negou que tenha cometido qualquer tentativa de assédio, mas a cena foi registrada pelas câmeras que filmavam a sessão.

Agora, cabe ao diretório nacional do partido decidir se Cury será expulso e quais as possíveis punições possíveis ao parlamentar. A decisão contra o deputado foi unânime e divulgada no último domingo (10).  A denúncia chegou ao Conselho de Ética do partido ainda em dezembro, mês em que o deputado foi afastado das atividades do partido.

Para o conselho do Cidadania,  a acusação de importunação sexual fere o estatuto e é um "fato grave e insolente".

O Conselho de Ética da Assembleia Legislativa de São Paulo está em recesso e ainda não julgou o caso . A presidência da Alesp disse que não pode convocar uma reunião do Conselho durante o recesso, por causa do regimento interno. Para isso, é preciso contar com um requerimento da presidência do Conselho de Ética assinado pela metade dos parlamentares.

Por meio de nota, o deputado afirmou que está sendo submetido "a um julgamento ilegal, sumário e de exceção, que viola o Código de Ética do próprio partido e a Constituição Federal."

Já a relatoria do procedimento interno, Mariete de Paiva Souza, entendeu que a "importunação sexual sofrida pela deputada fere frontalmente o Código de Ética do Cidadania" em seu artigo 3º, inciso I.

“As imagens do plenário por si conferem clareza ao acontecimento, com nitidez, câmeras flagraram um comportamento descabido, rasteiro e incongruente por parte do deputado Fernando Cury contra a deputada Isa Penna. O fato é grave e insolente, não nos permite outra interpretação que não a de estarmos diante de um acontecimento desrespeitoso e afrontoso, que deve ser combatido”, destacou a relatora.

Isa Penna critica morosidade do Conselho de Ética da Alesp

Já o Conselho de Ética da Assembleia Legislativa de São Paulo está em recesso e ainda não julgou o caso. A presidência da Alesp disse que não pode convocar uma reunião do Conselho durante o recesso, por causa do regimento interno. Para isso, é preciso contar com um requerimento da presidência do Conselho de Ética assinado pela metade dos parlamentares.

A deputada Isa Penna, em suas redes sociais afirmou que espera um posicionamento do presidente da Assembleia Legislativa do Estado,  Cauê Macris,  do mesmo partido do governador e João Doria (PSDB).

“Na última semana eu e minha equipe enviamos um e-mail para todos os deputados da Casa convocando uma assembleia extraordinária antes de fevereiro, infelizmente o presidente da Casa não se pronunciou nenhuma vez desde o assédio. Eu, minha equipe e toda a sociedade estamos estupefatos que até agora a maior Assembleia Legislativa do país e o seu presidente, do mesmo partido do governador João Doria, ainda estejam  ignorando o fato e não agindo com celeridade”, ressaltou.