• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Confetam/CUT apela para que pais se recusem a mandar filhos para escola

Em carta aberta dirigida a responsáveis por alunos das escolas públicas municipais, entidade pede que pais resistam ao retorno das atividades presenciais nesta segunda e mais grave onda da pandemia

Publicado: 01 Março, 2021 - 15h44

Escrito por: Confetam/CUT

Carta aberta aos pais de alunos e responsáveis

Diante do agravamento de uma pandemia que já matou mais de 250 mil pessoas no Brasil e de uma segunda onda de contaminação pelo novo coronavírus, que promete efeitos ainda mais devastadores com o retorno das aulas presenciais no país, a Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT) dirige-se aos pais de alunos e apela ao bom senso dos responsáveis pelos estudantes para pedir que se recusem a enviar seus filhos e filhas à escola até o momento em que possam voltar a assistir aulas presenciais com segurança.

Além de um claro pedido de preservação da vida de seus próprios filhos, nossos apelo também é pela segurança dos trabalhadores e trabalhadoras da educação, bem como de toda a comunidade escolar. Até que a vacina seja disponibilizada para toda a população brasileira, logística que tem sido dificultada criminosamente pelo desgoverno do presidente genocida Jair Bolsonaro, o distanciamento social será a única forma de conter o contágio.

Permitir o retorno das crianças e adolescentes às aulas presenciais teria consequências devastadoras já anunciadas por cientistas do mundo inteiro. O contato entre os estudantes, depois com familiares, visinhos e moradores do bairro certamente agravaria o contágio num cenário de crescimento vertiginoso de mortes e do eminente colapso no atendimento da saúde pública e privada em todo o país.

Coerente com uma trajetória de 20 anos de defesa da educação, do conhecimento e da ciência, a entidade convida mães, pais e responsáveis a também abraçarem a luta nacional dos trabalhadores do ensino público municipal pela vida, em andamento em vários estados brasileiros.

Na Paraíba, por exemplo, uma articulação dos sindicatos representantes dos profissionais da educação, com a participação ativa da Confetam/CUT, conseguiu reverter a volta às aulas presenciais, inicialmente agendada para hoje (1º/03). Para isso, as entidades que compõem o Comitê Educacional em Defesa da Vida espalharam outdoors por todo o estado e recorreram ao Ministério Público do Trabalho, à Assembleia Legislativa, ao Governo Estadual, à Câmara Municipal de João Pessoa, às Câmara de Vereadores dos municípios representados no grupo e suas respectivas Secretarias Educação.  

Apesar da vitória, a Confetam/CUT e os sindicatos de base continuarão atentos, em vigília de fiscalização nos municípios que insistirem em permitir a continuidade de reuniões presenciais com a comunidade escolar e de planejamento com os professores. A quem insistir, a entidade enfatiza o apelo de forma veemente: volta às aulas presenciais, só com vacina para todos e todas! Esta é a nossa luta coletiva e prioridade absoluta!

Fortaleza, 1º de março de 2019

Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal – Confetam/CUT