• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Brasil despenca do 9º para o 12º lugar no ranking das maiores economias do mundo

Depois do golpe de estado, Brasil sai da lista das dez maiores economias do mundo onde havia chegado nos governos de Lula e Dilma

Publicado: 09 Novembro, 2020 - 13h14 | Última modificação: 10 Novembro, 2020 - 12h02

Escrito por: Redação CUT

Agência Brasil
notice

Com Jair Bolsonaro (ex-PSL) no comando do país e o banqueiro Paulo Guedes dando as cartas no Ministério da Economia, Brasil despenca e perde espaço entre as 10 maiores economias do mundo.

Segundo dados do Fundo Monetário Internacional (FMI) compilados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), em 2020, o país ficará em 12º lugar no ranking das maiores economias do mundo, atrás de Canadá, Coreia do Sul e Rússia, três países que ficaram na nona, na décima e na 11ª posição, respectivamente. A informação foi publicada pelo jornal Valor Econômico.    

Em 2019, primeiro ano de Bolsonaro no poder, o Brasil já havia caído da 8ª para 9ª posição entre as 10 maiores economias do mundo, atrás de EUA, China, Japão, Alemanha, Índia, Reino Unido, França e Itália. E este ano, deve cair mais três posições.

Nos governos do PT país chegu ao 6º lugar 

Em 2002, último ano do governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB), o Brasil ocupava a 13ª posição no ranking global de economias medido pelo PIB em dólar, segundo dados do Banco Mundial e FMI.

Nos governo dos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff, o país chegou, no fim de 2011, ao 6º lugar, desbancando a Grã-Bretanha, segundo projeções do Centro de Pesquisa Econômica e de Negócios (CEBR, na sigla em inglês), divulgadas na época pela BBC.

Em 2012, o Brasil caiu para o sétimo lugar, posição que ocupou até 2014, depois ficou em oitavo lugar entre 2015 e 2018, apesar da crise política e econômica provocada pelo golpe de estado que destituiu a presidenta Dilma, em 2016.