• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Manifestantes voltam a ocupar as ruas de Paris contra o preço dos combustíveis

Até o meio da tarde do sábado foram registradas prisões de manifestantes e ações policiais com o uso de gás lacrimogêneo e canhões de água

Publicado: 03 Dezembro, 2018 - 09h39 | Última modificação: 03 Dezembro, 2018 - 09h43

Escrito por: Redação RBA

REPRODUÇÃO
notice

O governo francês mobilizou neste sábado (1º) aproximadamente 5 mil agentes na capital do país, Paris, em função dos protestos dos 'coletes amarelos', manifestantes que usam o item que é obrigatório em veículos na Europa para reivindicar, entre outros pontos, a redução do preço dos combustíveis.

De acordo com a chefia de polícia local, 16 pessoas já tinham sido detidas pouco antes das 9h da manhã (7h em Brasília) por porte de objetos não permitidos na avenida Champs-Élysées. A preocupação alegada pelas autoridades é tentar evitar que se repitam as cenas de violência do último sábado, mas já foram registradas ações policiais com o uso de gás lacrimogêneo e canhões de água contra os manifestantes.

Por conta do aparato de segurança montado, muitos grupos preferiram se manifestar bloqueando o trânsito em estradas de diversos pontos do país e nos arredores de Paris. A Champs-Élysées está fechada para o trânsito de veículos e estão programadas mais 33 manifestações na França.

Na sexta-feira (30), o protesto voltou a ultrapassar as fronteiras do país e chegou a Bruxelas, capital belga, onde centenas de pessoas vestidas com os coletes reflexivos amarelos promoveram uma manifestação. Sessenta pessoas foram detidas na ocasião.

Emmanuel Macron reuniu-se com os representantes dos manifestantes esta semana, mas o encontro não foi suficiente para dar fim aos protestos. O movimento exige a demissão do presidente francês, que está na Argentina para a reunião do G-20.

*Com informações de Esquerda.net e Agência Brasil

carregando
carregando