• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Casos de coronavírus disparam no Brasil e no mundo. Só em SP já são 745 infectados

Para controlar a pandemia, ruas das principais capitais do país e do mundo amanhecem vazias, médicos e enfermeiros são contratados de urgência e hospitais de campanha são montados

Publicado: 24 Março, 2020 - 11h17 | Última modificação: 24 Março, 2020 - 11h30

Escrito por: Walber Pinto

Divulgação
notice

Os casos confirmados do novo coronavírus (Covid-19) subiram para mais de 382 mil e 16,5 mil pessoas morreram em todo o mundo, de acordo com levantamento da universidade Johns Hopkings. Na Itália são 53 mil casos e 6 mil mortes. Na Espanha, são 39.673 casos e 2.696 mortes.

No Brasil, em apenas 24 horas, subiu de 1.546 para 1.965 o total de pessoas infectadas pelo Covid-19. Os números foram atualizados nesta terça-feira (24) pelas secretárias estaduais de Saúde, por volta das 9h15. Em todo o país, 34 pessoas já morreram em decorrência das complicações do coronavírus, 30 só em São Paulo e quatro no Rio de Janeiro.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, a aceleração muito grande de casos nos Estados Unidos pode transformar o país no novo epicentro do surto nas próximas semanas – até agora o epicentro é a Itália. São 46.450 casos registrados e 125 mortes só na cidade de Nova York.

O governo federal fala na contratação de profissionais da Saúde, enquanto Pernambuco abre inscrição para 4.729 médicos, e várias cidades lançam edital de contratação no Rio de Janeiro e no Rio Grande do Sul, entre outras. Em São Paulo, serão construídos dois hospitais da campanha, um que deve ser entregue semana que vem no Estádio do Pacaembu e outro no Anhembi. O governo do Distrito Federal vai usar o Estádio Mané Garrincha para triagem de pacientes.

Estado de calamidade em São Paulo

São Paulo e Rio são as capitais brasileiras com o maior número de pessoas infectadas pelo vírus. São Paulo com 745 casos confirmados, Rio de Janeiro tem 233.

Na tarde desta segunda-feira (23), o Ministério da Saúde atualizou seus números, informando que o país registrava 1.891, mas esses números já mudaram drasticamente.

Em todos os estados brasileiros têm casos confirmados do novo coronavírus. No Distrito Federal, até o no início da noite desta segunda-feira (23), subiu para 146 o número de casos em Brasília. São 12 a mais do que o total registrado no dia anterior (22), quando eram 134 registros.

O Amapá é o estado que tem menos casos de coronavírus, uma pessoa foi infectada. Em Roraima tem duas pessoas, duas na Paraíba, oito no Maranhão, 163 no Ceará, 128 em Minas Gerais, 42 em Pernambuco, 10 em Sergipe, 68 em Santa Catarina, 86 no Rio Grande do Sul, 23 em Goiás, 29 no Espírito Santo e 56 casos confirmados do novo coronavírus no Paraná.

Há transmissão comunitária (quando não é possível rastrear qual a origem da infecção, indicando que o vírus circula entre pessoas que não viajaram ao exterior) acelerada em pelo menos sete estados: São Paulo, Pernambuco, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Bahia.

Ruas vazias

Com ruas vazias nesta terça-feira (24), onde a quarentena passa a valer, em São Paulo, só ficarão abertos estabelecimentos com atendimento presencial que prestam serviços considerados essenciais. Os bancos e lotéricas também continuam abertos. As indústrias devem continuam operando, já que não têm atendimento ao público.

No Rio de Janeiro, a partir desta terça-feira (24), o atendimento em bares e restaurantes será reduzido, enquanto em shoppings somente a praça de alimentação permanecerá aberta. O decreto do governador Wilson Witzel (PSC) inclui também em fechar todas as divisas com os estados que já têm a propagação do coronavírus.