• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Câmara Federal realiza sessão solene em homenagem aos 48 anos da Fenae

Ato foi requerido por Érika Kokay (PT/DF) e possui peso prático e simbólico. Trajetória da Fenae, em defesa dos direitos dos empregados e da Caixa 100% pública é marcada por protestos e mobilizações 

Publicado: 04 Junho, 2019 - 16h33 | Última modificação: 04 Junho, 2019 - 16h41

Escrito por: Redação CUT

Reprodução
notice

A Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae)  foi homenageada nesta terça-feira (4) pela Câmara Federal,  durante sessão solene no Plenário Ulysses Guimarães.  A homenagem foi requerida pela deputada Érika Kokay (PT/DF), que também é funcionária do  banco público.

A iniciativa da sessão solene possui um peso prático e simbólico de grande relevância e é motivo de orgulho da entidade que completa 48 anos.

“A Fenae nasceu na época da ditadura militar, com uma atuação político sindical e, por isso esta homenagem na Câmara Federal, que é uma instância de poder,  tem um papel muito importante para nós”, diz o presidente da Federação, Jair Pedro Ferreira.

O dirigente destacou ainda o apoio da entidade na criação da CUT, a qual a Fenae se filiou há mais de 30 anos.

“Para nós, a CUT (representada no ato da Câmara pelo secretário de Assuntos Jurídicos, Valeir Ertle) é uma parceira estratégica. Somos parceiros, que juntos, lutamos por direitos dos trabalhadores e das trabalhadoras, por políticas públicas que façam do Brasil um país melhor”, afirmou Jair.

O presidente da Fenae também agradeceu a autora da homenagem, a deputada Érika Kokay, que segundo ele, tem uma luta incansável pelos direitos institucionais e de defesa da Caixa, como um banco cem por cento público.

“Só fato do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, autorizar a homenagem a pedido da deputada, demonstra a importância do seu trabalho e ao papel que ela dá à nossa entidade“, ressaltou.

“Essa homenagem culmina não só com os 48 anos da Fenae, mas com a nossa luta em defesa da Caixa e das estatais, ameaçadas pelo atual governo”, destacou Jair.  

A Fenae

A Fenae foi criada em 29 de maio de 1971, durante o 6º Congresso Nacional das Associações Estaduais, com base no propósito de servir ao bem-estar dos empregados da Caixa e em defesa do banco público e social.

O cenário de existência da Federação, na verdade, sempre foi marcado por lutas, protestos e mobilizações pelo país afora.

Em sua trajetória, lutou pela jornada de seis horas sem redução dos salários, o direito à sindicalização, a reclassificação nas tabelas salariais e nos planos de cargos e salários, a isonomia para os admitidos após dezembro de 1983 (benefícios e vantagens) e a equiparação salarial dos empregados da Caixa com trabalhadores de outros bancos federais.

Hoje, a Fenae se define com base em quatro pilares: defesa dos empregados e da Caixa 100% pública, promoção do bem-estar do pessoal da Caixa, gestão sustentável do patrimônio e compromisso com a sociedade.

A Federação, além de atuar em prol do bem-estar dos funcionários do banco com a disponibilidade de esportes e cultura, faz parcerias importantes com os movimentos sociais, especialmente, em defesa da casa própria. Com isso, a entidade, é sem dúvida, a maior referência do movimento nacional associativo dos empregados da Caixa, atuando em conjunto com as Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Apcefs)

 Atualmente, entre as suas diversas ações, destacam-se projetos como Rede do Conhecimento (plataforma de educação), Eu Faço Cultura (programa de democratização de acesso à cultura), Movimento Solidário (programa de responsabilidade social), Jogos da Fenae, Talentos Fenae (concurso cultural) e Inspira Fenae (evento de troca de experiências profissionais e pessoais dos empregados da Caixa).